Sexualidade

Como se proteger das DTSs da maneira mais segura

Por Redação Doutíssima 24/11/2014

Normalmente as pessoas relacionam o sexo tão somente ao prazer. Às vezes, a possibilidade de pegar alguma doença sexualmente transmissível é uma das últimas coisas que elas pensam – quando deveria ser uma das primeiras. Aprender como se proteger é necessário, caso contrário as chances de ser contaminado são muito grandes.

Uma doença sexualmente transmissível (DST) é uma infecção que pode ser transmitida a outra pessoa através do contato sexual. Por isso, antes de ter qualquer relação sexual, principalmente com pessoas que você recém conheceu, é preciso se saber como se proteger. Ou seja, começar a considerar os preservativos não apenas como uma maneira de evitar a gravidez.

como-se-proteger

Os métodos preservativos são fundamentais para evitar o contágio. Foto: iStock, Getty Images

Principais doenças sexualmente transmissíveis

Dentre as principais doenças sexualmente transmissíveis, a mais famosa é, sem dúvidas, o vírus HIV. Todavia, existem outras que também podem ser adquiridas através do contato sexual sem proteção. A clamídia, por exemplo, é uma doença causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, que na maioria dos casos é transmitida através do contato sexual.

Ela é a doença sexualmente transmissível mais comum do mundo, e entre os seus sintomas nos homens encontram-se a queimação ao urinar, a secreção do pênis ou do reto e a sensibilidade nos testículos e dor. As mulheres também podem sentir esses sintomas, além de dor no ato sexual.

Além da clamídia, a herpes genital, as verrugas genitais, a gonorreia, a hepatite e a sífilis são outras doenças que podem ser transmitidas sexualmente. Alguma dúvida de que você precisa saber como se proteger?

Como se proteger das DSTs

Se você quer saber como se proteger, a primeira dica é conhecer bem o seu parceiro, e não deixar de falar de suas experiências sexuais anteriores – se você achar que não deve consumar o ato, não se sinta forçada a tanto. Além disso, se você é casada ou tem um namorado, então em hipótese alguma tenha relações sexuais fora desse relacionamento.

Além disso, antes de qualquer relacionamento mais sério, no qual em algum momento provavelmente vocês provavelmente deixarão de usar preservativos, é importantíssimo que o casal faça exames para ter certeza de que não tem qualquer DST. Essa é uma forma imprescindível de como se proteger.

Passadas essas questões preliminares, existem outros fatores importantes para se considerar e saber como se proteger das tão temidas doenças sexualmente transmissíveis. É que nem sempre você terá a condição de conhecer bem o seu parceiro antes de consumar o ato sexual, e por isso talvez não seja possível aplicar as dicas acima.

É verdade que essa situação – ter relações sexuais sem conhecer seu parceiro a fundo – não é a ideal, mas você não precisa se penitenciar caso ela aconteça eventualmente. Nesses casos, para saber como se proteger, você precisa observar as seguintes dicas.

Veja como se proteger com os melhores métodos

Camisinha

A camisinha deve ser usada do início ao fim da atividade sexual, já que as doenças podem ser transmitidas em razão do contato pele à pele, e o uso do preservativo reduz consideravelmente esse risco.

Lubrificantes

Os lubrificantes, como o próprio nome sugere, aumentam a lubrificação vaginal, diminuindo a fricção. E é justamente por isso que usá-los é uma boa dica, já que diminuem o risco de que o preservativo rasgue. Fique atenta, porém, à fórmula do lubrificante, já que aqueles à base de óleos ou vaselina podem prejudicar o látex da camisinha e fazer com que ele se rompa.

Sobriedade

Você pode achar que não, mas se a ideia é fazer sexo com uma pessoa que você não conhece assim tão bem, é bom se abster do consumo excessivo de álcool, já que ele pode alterar seu juízo e fazer você não ser tão cuidadosa como deveria.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros