[the_ad_group id="16401"]
Amor e Sexo

Assédio sexual: saiba identificar e se proteger

Por Redação Doutíssima 01/01/2015

O assédio sexual é uma forma de assédio constrangedora e violenta, porque sugere ou busca favores sexuais usando alguma forma de chantagem. Pode acontecer no local de trabalho, na escola, em casa ou até mesmo virtualmente. Inclui comportamentos sexuais indesejados, como toques íntimos ou comentários de conotação sexual. É muito importante aprender a identificar, para depois saber o que fazer quando isso acontece.

 

Como identificar o assédio sexual

 

A primeira coisa que você deve levar em conta é a sua vontade. Se está havendo uma insistência, mesmo com a sua negativa ou constrangimento visível, então nós temos aí um quadro de assédio sexual. O mais comum ocorre no trabalho, e tem características específicas. São manifestações de cunho sexual, explícitas ou não, e constantes, sem que você permita.

assedio-sexual

Reunir provas é fundamental para denunciar o assediador. Foto: iStock, Getty Images

 

Em geral, começa de forma sutil, até evoluir para uma chantagem que pode trocar a manutenção do seu emprego ou uma possível promoção por favores sexuais. Muitas vezes, pode acontecer do assediador criar situações em que vai ficar sozinho com você. Aí as coisas podem ficar ainda mais complicadas.

Se você sentiu que as coisas estão começando a ficar suspeitas, tente desencorajá-lo com a imposição do respeito. Se você suspeitar de assédio, compartilhe a suspeita com um colega e passe a reunir provas – você pode precisar se quiser denunciá-lo. Diga não ao assediador com a maior clareza e, se isso não resolver, denuncie no sindicato da categoria ou na Delegacia da Mulher.

Para identificar este assédio sexual, avalie se você já ficou constrangida com cantadas inconvenientes do chefe ou colega, se já sofreu chantagens em troca de um happy hour a sós ou se houve insistência demasiada ao oferecer uma carona? Se a resposta for positiva, você pode ter um problema.

Tenha muito claro que toda tentativa, por parte de alguém de poder hierárquico sobre você de obter favores sexuais devido à sua posição é assédio sexual e, como tal, pode ser punido. Com o amparo da lei, a vítima não precisa ter um comportamento submisso. Em caso de ter que rescindir o contrato por conta de um assédio sexual, a lei determina que junto com os direitos da rescisão, pode haver ainda indenização por danos morais.

O importante, nesse caso, é você se munir de provas para não correr o risco de responder judicialmente por falsa acusação. Como provas de assédio sexual, você pode reunir bilhetes e e-mails com mensagens constrangedoras enviados pelo assediador, roupas rasgadas em tentativas de violência, gravação de conversas, entre outras.

 

O assédio sexual virtual

 

No assédio virtual você pode ser coagida a fazer imagens de partes íntimas, por exemplo, a pedido de pessoas que conhece na rede. Ou ter seu PC invadido por hackers, que compartilham fotos íntimas. Para evitar este tipo de assédio, é importante se proteger na web.

Evitar produzir, armazenar ou enviar fotos ou vídeos contendo imagens íntimas; use senhas fortes em redes sociais; não confie em quem não conhece, e muitas vezes desconfie de quem conhece. Se está em dúvida se faz ou não aquela foto íntima para enviar a um paquera, não faça, apenas diga não, e terá um motivo a menos para se arrepender de algo sério mais tarde.

 

 


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]