Amor e Sexo > Sexualidade

É possível transmitir doenças com sexo oral também. Saiba mais sobre as DSTs

Por Redação Doutíssima 05/12/2014

Parte importante na relação sexual, o sexo oral pode levar ao clímax muitas vezes sem a penetração. É visto também, por muitos casais, como etapa fundamental nas preliminares. Mas cuidado, pois também é possível transmitir doenças com sexo oral.

Para a prática de sexo oral você também precisa se proteger. Foto: iStock, Getty Images

Para a prática de sexo oral você também precisa se proteger. Foto: iStock, Getty Images

Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) podem, sim, ser transmitidas durante o sexo oral. Mas, calma, não é preciso abrir mão dessa prática tão prazerosa. Basta se cuidar, manter-se informada e transmitir o conhecimento para seu parceiro.

 

Um estudo sobre sexo, desenvolvido em 2010 pela médica ginecologista Maria Eugenia Caetano, apontou que, naquele ano, quase 60% de universitários entrevistados não costumavam usar preservativo durante o sexo oral. E, pior, desconheciam os riscos de serem contaminados por doenças com sexo oral.

 

Outra pesquisa, também de 2010, dessa vez desenvolvida no Canadá, mostrou que a forma de encarar o sexo oral mudou, tornando-se uma escolha da mulher, que antes fazia ou recebia apenas para agradar ao parceiro. Neste estudo, 30% das mulheres afirmaram sentir-se mais femininas e poderosas.

 

Mas este mesmo estudo também revelou um dado bem preocupante. Mais de 80% destas mulheres também não exigiam o uso da camisinha, correndo um grande risco de adquirir doenças com sexo oral.

 

Por isso, preste atenção nas questões abaixo e entenda que tipo de risco você corre e quais doenças com sexo oral pode adquirir se não se proteger.

Quais são as doenças com sexo oral mais comuns?

Saiba que todas as DSTs podem ser transmitidas através do sexo oral. As mais frequentes são herpes e HPV, que dependem somente do contato com a pele. Além dessas duas, há outros perigos de doenças com sexo oral, que podem ser transmitidas por meio das secreções corporais. São elas a gonorreia, sífilis, clamídia, hepatite e Aids.

Dúvida, cuspir ou engolir?

Não é por que você decide não engolir o esperma que vai estar protegida de doenças com sexo oral se optar por não usar preservativo. Caso você tenha qualquer tipo de machucado ou afta na boca, o sêmem vai contaminar você. Então, na dúvida, melhor não arriscar, não acha?

De que maneira se proteger?

Ao fazer sexo oral em um pênis, a medida mais simples e direta é usar o preservativo. Incremente o momento e escolha as opções com cheiro e gosto. Uma ida ao sex shop pode dar muitas ideias.

 

Agora, se você vai se divertir em uma vagina, o processo pode ser um pouco mais complicado, mas não é impossível. Você poderá, sim, se proteger das doenças com sexo oral. Corte a base de uma camisinha, corte o sentido do comprimento e transforme-a em uma espécie de folha. Coloque-a sobre a vagina e siga em frente.

 

Algumas pessoas escolhem usar aqueles filmes plásticos, usados comumente para acondicionar alimentos. Até podem ser uma boa alternativa, mas como se trata de uma película bastante delicada, há o risco muito grande de rompimento.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros