[the_ad_group id="16401"]
Clínica Geral

Saiba o que o ácido araquidônico pode fazer pelo bem da sua saúde

Por Redação Doutíssima 02/05/2015

O nome soa estranho, mas o ácido araquidônico não tem nada de vilão, ao contrário. Ele é um tipo de ácido graxo essencial polinsaturado da série ômega-6 e que é fundamental para a sua vida. Os ácidos graxos ômega-6 ajudam a manter a sua função cerebral e a regular o crescimento.

Além disso, eles também desempenham um papel essencial no desenvolvimento e na reparação do tecido muscular esquelético. A melhor parte é que podemos conseguir esta substância através da nossa alimentação. Quer descobrir como? Confira a seguir.

acido-araquidonico

Suplementos podem ser a principal fonte do ácido, desde que com orientação médica. Foto: iStock, Getty Images

Ácido araquidônico: bom para corpo e mente

Conforme explica Isabela David, médica nutróloga e integrante da Associação Brasileira de Nutrologia (ABN), o metabolismo é um conjunto de transformações químicas que os nutrientes e outras substâncias sofrem no nosso organismo.

 

Uma destas transformações acontecem com o ácido araquidônico, uma gordura pró-inflamatória, formada a partir do ácido linoleico e que está bastante presente em nossa dieta, explica a médica.

 

A substância é muito importante para seu cérebro e músculos, pois contém ácidos graxos. Em sua busca de uma vida saudável, os ácidos graxos, como o ácido araquidônico, ajudam a manter as membranas das células saudáveis. Conheça 11 de seus benefícios para a saúde:

 

1. Promove a hipertrofia muscular e síntese de proteínas que ocorrem após o exercício.

2. Aumenta a produção e a ativação de células.

3. Inflama os músculos e, portanto, estimula o crescimento de células musculares.

4. Aumenta a síntese de óxido nítrico.

5. Melhora a longo prazo o efeito da vascularização.

6. Inibe a função da resistina, um hormônio específico, que tem uma importante ligação entre diabetes, obesidade e resistência à insulina.

7. Impede os sintomas e o progresso da doença de Alzheimer.

8. Regula o crescimento normal do corpo.

9. Impede o envelhecimento das células.

10. Previne a formação de coágulos sanguíneos, evitando assim os riscos de AVC e ataques cardíacos.

11. Promove o poder de memória.

 

Fontes de ácido araquidônico

O ácido araquidônico está presente em produtos de origem animal, tanto na carne como na cartilagem, inclusive em peixes e também na gema de ovo. Embora não seja a melhor das fontes, existe alguma quantidade no leite (incluindo o leite materno).

 

A quantidade deste ácido graxo encontrado em produtos de carne e gema de ovo é bastante significativa. Todavia, para conseguir um grama de ácido araquidônico via alimentos, é necessário consumir, por exemplo. meio quilo de salmão.

 

Outra maneira de obter este ácido é através de suplementos, que são famosos entre os atletas em busca de músculos. Porém, ele não deve ser administrado sem supervisão profissional, já que em excesso pode causar efeitos colaterais.

 

Atenção aos efeitos colaterais

Com base em estudos, a superexposição ao suplemento é capaz de gerar efeitos colaterais do ácido araquidônico. É possível experimentar dores nas articulações e de cabeça, aumento da quantidade de dor muscular e insônia. Se você não estiver ativo fisicamente, não deve consumir suplemento araquidônico.

Os efeitos secundários poderiam ser, ainda, tanto a osteoartrite como a artrite reumatoide. Eles são passíveis de causar, também, ataques de asma ou colite ulcerosa.

 

Além disso, mulheres grávidas e mães que amamentam, pessoas que enfrentam o colesterol alto, pressão alta, asma, câncer, aumento da próstata, síndrome do intestino irritável, doença cardíaca, doença inflamatória ou diabetes, não devem fazer a ingestão de suplementos de ácido araquidônico.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]