[the_ad_group id="16401"]
Clínica Geral

Cervicite acomete mulheres com idade entre 18 e 25 anos

Por Redação Doutíssima 02/07/2015

A cervicite é uma infecção comum que afeta o colo do útero. Ela pode ser causada por certas doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), por uma lesão no colo decorrente de objeto estranho inserido na vagina, como um diafragma, ou até mesmo devido a um câncer.

 

Em razão dessas muitas causas, é importante realizar o diagnóstico correto da doença, que afeta principalmente mulheres mais jovens – entre 18 e 25 anos.

cervicite

Infecção nos órgãos reprodutores pode causar infertilidade se não for tratada. Foto: iStock, Getty Images

 

Cervicite: como identificar e principais causas

Toda mulher deve conhecer seu corpo para conseguir detectar qualquer anormalidade que possa ocorrer. Principalmente no caso da cervicite, que na maioria das vezes não causa sinais e sintomas aparentes. De acordo com a Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA, mais da metade de todas as mulheres são afetadas por essa condição em algum momento de suas vidas.

 

Em determinados casos, é possível que ocorra um corrimento vaginal esverdeado, marrom ou amarelo e que, por vezes, tem um odor desagradável. Além disso, sentir dor ao urinar ou manter relações sexuais – ou até mesmo um sangramento vaginal após o sexo que não esteja associado ao período menstrual – pode indicar o problema.

 

A causa mais comum dessa inflamação é uma infecção. A condição é normalmente classificada como aguda ou crônica. A do tipo aguda é geralmente causada por uma doença sexualmente transmissível, como herpes, clamídia, tricomoníase, papilomavírus humano (HPV) e gonorreia.

 

Além disso, pode ser causada por infecções associadas a outros fatores, como alergia a espermicida ou preservativo de látex, diafragma, ou então sensibilidade para produtos químicos encontrados em absorventes internos. Bactérias vaginais também são capazes de causá-la.

 

Por outro lado, a cervicite crônica é comum após o parto. É possível sua ocorrência também durante a gravidez, em razão dos níveis de hormônios que causam aumento de fluxo sanguíneo para o colo do útero.

 

Existe complicação de uma cervicite não tratada?

O colo age como uma barreira para manter bactérias e vírus longe do útero. Quando ele está infectado, há um risco aumentado de que quaisquer infecções afetem o útero.

 

Além disso, quando essa doença é causada por gonorreia ou clamídia, pode se espalhar para o revestimento do útero e as trompas de Falópio, resultando em doença inflamatória pélvica.

Essa é uma infecção dos órgãos reprodutores femininos capaz de causar problemas de fertilidade caso não seja tratada. A cervicite também aumenta o risco de uma mulher contrair o HIV de um parceiro sexual infectado.

 

Se você sentir qualquer sintoma da doença é necessário ir em busca de ajuda médica. É importante também fazer exames regulares, já que alguns sintomas podem ser silenciosos. Caso a cervicite tenha sido causada por uma DST, você e seu parceiro precisarão de tratamento.

 

A prescrição de medicamentos pode incluir antibióticos para uma infecção bacteriana como a gonorreia ou a clamídia, ou um medicamento antiviral, para causas virais como ocorre com a herpes genital.

Para evitar a transmissão de uma infecção bacteriana para o seu parceiro, o mais recomendado é se abster de relações sexuais até que você termine com o tratamento prescrito pelo seu médico.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]