Trombofilia é uma doença genética ou adquirida que afeta a capacidade de coagulação do sangue. Um dos principais problemas relacionados à doença é a trombose, que ocorre quando um vaso sanguíneo é obstruído por um coágulo.

Entenda a trombofilia

De acordo com um artigo escrito por Elbio Antonio D’Amico e publicado na Revista da Associação Médica Brasileira, a trombofilia hereditária é uma predisposição genética à obstrução dos vasos sanguíneos.

trombofilia - doutissima - iStock
Sinais da trombose venosa profunda são dor e inchaço nas pernas. Foto: iStock, Getty Images

Isso ocorre por alterações nas substâncias que inibem a formação de coágulos, fazendo com que percam sua eficácia em proteger o organismo desse tipo de problema.

A doença, quando de origem genética, costuma atingir pessoas com menos de 45 anos, consideradas jovens em relação ao problema. Nesse caso também há grandes chances de recorrência da obstrução dos vasos, assim como a probabilidade do coágulo transitar pelo corpo e aparecer em regiões incomuns.

Já a trombofilia adquirida é causada por doenças, síndrome antifosfolípide, imobilização de membros, terapia de reposição hormonal, pílulas anticoncepcionais e medicamentos como a heparina.

O artigo ainda menciona que outro fator importante para o entendimento e tratamento da doença é a parte do corpo onde ocorre o coágulo. Saber se há a predisposição para a trombofilia é importante para prevenção e tratamento precoce, caso surjam coágulos.

Trombofilia afeta fertilidade e gravidez

O mesmo artigo ainda traz informações importantes que ressaltam a necessidade de conhecimento da doença. Mulheres com trombofilia podem ter problemas para engravidar e outras complicações obstétricas.

De acordo com o Ministério da Saúde, a trombofilia deve ser investigada quando há casos de aborto espontâneo recorrente, óbito do feto, eclâmpsia e pré-eclâmpsia, descolamento de placenta e problemas de desenvolvimento fetal.

O órgão lembra que muitas vezes a doença só é identificada durante a gravidez. O tratamento e acompanhamento varia conforme a saúde da gestante, os riscos da gestação para mãe e filho e o estágio da gravidez.

Reconheça os sintomas

A trombofilia em si pode não causar sintoma algum e também não afetar a saúde de quem tem a doença. Mas esse problema abre portas para uma trombose venosa profunda, um problema que coloca a vida em risco.

O sinais da trombose venosa profunda são dor e inchaço em algum local de uma das pernas, a pele fica quente no local e pode apresentar manchas vermelhas na parte de trás do joelho. Esses sinais não devem ser ignorados.

O coágulo na perna não coloca a saúde em risco, porém ele pode viajar pelas veias do corpo e causar embolismo, uma situação preocupante. Se o coágulo se alojar nos pulmões, provocando uma embolia pulmonar, o sangue não consegue chegar aos órgãos, podendo impedir a respiração.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 

 

É fã do Doutíssima? Acompanhe o nosso conteúdo pelo Instagram!


DEIXE UMA RESPOSTA