Clínica Geral

Doação de plaquetas: tire suas dúvidas e ajude quem precisa

Por Redação Doutíssima 25/09/2015

A doação de plaquetas é essencial para o tratamento de pacientes que possuem doenças no sangue, conhecidos como onco-hematológicos. O paciente começa a depender da doação para suprir a carência de plaquetas no sangue. Essa ausência acontece devido ao tratamento de quimioterapia para tratar a doença.

 

O sangue é formado por glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plasma e plaquetas. Elas são responsáveis pelo processo de coagulação do sangue. Assim, auxiliam na defesa do organismo.

doacao de plaquetas

Doar plaquetas é uma maneira de ajudar as pessoas que sofrem com doenças no sangue. Foto: Shutterstock

A carência de plaquetas pode causar hematomas pelo corpo do paciente, sangramentos, fadiga e cansaço.

 

Como ocorre a doação de plaquetas 

A transfusão do sangue para doação de plaquetas pode ser realizada de duas maneiras. A partir de uma coleta de sangue convencional ou por aférese. A convencional retira o sangue do doador e depois as plaquetas são separadas e extraídas.

O segundo procedimento equivale a seis doações de sangue. Assim, é possível realizar uma coleta maior de plaquetas. Além da quantidade extraída ser maior, a doação por aférese coleta apenas as plaquetas, os demais componentes sanguíneos voltam ao doador.  O processo todo de doação dura cerca de 90 minutos.

Os efeitos colaterais causados pela doação de plaquetas são mínimos. O profissional responsável pela coleta esta presente para observar o doador e agir caso algum desconforto aconteça.

Segundo o Banco de Sangue do Hospital Albert Einsten, é possível que seja sentida dor local após a retirada do sangue. Queda de pressão, tontura e enjoo também podem aparecer, no entanto todas as reações dependem da sensibilidade do doador.

É raro que aconteça qualquer manifestação alérgica. Mas caso ocorra, a equipe responsável pelo Banco de Sangue está capacitada para contornar a situação.

Na hipótese de algum efeito adverso intenso nas horas seguintes à doação, comunique o banco de sangue imediatamente para uma avaliação e orientação.

O intervalo mínimo entre duas doações é de 48 horas, no máximo quatro vezes por mês e 24 vezes ao ano. A doação de plaquetas pode ser agendada no posto de coleta de sangue mais próximo. Para o procedimento, é necessário:

– Documento oficial de identidade com foto (RG, carteira profissional, carteira de habilitação)

– Ter entre 16 e 69 anos de idade, a primeira doação deve ter sido feita antes dos 60 anos

– Pesar mais de 50 Kg

– Estar alimentado adequadamente

– Não ter maior risco para doenças transmissíveis pelo sangue

– Estar em boas condições de saúde

– Ter doado sangue pelo menos duas vezes

doação de plaquetas infográfico doutíssima 

Cuidados após a doação de plaquetas

Após a doação de plaquetas, alguns cuidados devem ser tomados. É recomendado que seja ingerido bastante líquido e que não fume por uma hora. Caso o doador tenha ido ao Banco de Sangue desacompanhado, ele deve esperar meia hora até dirigir e não deve realizar exercícios intensos no dia da doação.

O curativo deve ser mantido no braço por pelo menos 30 minutos e em caso de sangramento, realizar uma compressão no local.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros