Dica do Dermatologista

Desodorante ou antitranspirante: entenda as diferenças

Por Redação Doutíssima 26/09/2015

Produtos de higiene diária, o desodorante e o antitranspirante prometem evitar o suor excessivo e o mau cheiro nas axilas. Quem sofre com sudorese na região precisa entender as diferenças entres eles e saber qual é o ideal para combater a situação.

Desodorante e antitranspirante

Os nomes dão a entender um pouco da função de cada um. O desodorante foca em mascarar o mau cheiro nas axilas. Já o antitranspirante diminui a quantidade de suor ou forma uma barreira contra a transpiração, que é a principal causa do odor desagradável.

antitranspirante - doutissima - iStock

Desodorante e antitranspirante prometem evitar o suor excessivo e o mau cheiro. Foto: iStock, Getty Images

É comum encontrar antitranspirantes que também sejam desodorantes. Eles impedem a formação do excesso de suor na axila e ainda são perfumados para mascarar qualquer possível cheiro.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o antitranspirante é seguro para o uso a partir dos 12 anos. A recomendação é que qualquer um desses produtos comece a ser usado diariamente na adolescência, quando o suor na axila passar a ter um odor mais forte em razão da puberdade.

Como combater o mau cheiro

Segundo Lila Guadanhim, médica dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, o mau cheiro, chamado de bromidrose, é causado pela decomposição do suor por bactérias.

Quem sofre com cheiro muito forte deve optar por antitranspirante que também seja desodorante. A médica alerta que o único risco que esse tipo de produto apresenta para a saúde é a dermatite de contato, uma alergia em resposta a algum dos ingredientes usados na fórmula do produto.

Entre as opções de antitranspirante e desodorante, a especialista recomenda sempre o uso da versão aerosol ou spray. Isso porque os produtos roll-on e creme requerem contato, promovendo a colonização das bactérias no próprio recipiente. Assim, fica praticamente impossível se livrar dos micro-organismos causadores do odor.

Se os produtos vendidos no supermercado ou farmácias não tiverem efeito em casos de cheiro forte na axila, o ideal é consultar um dermatologista que possa avaliar melhor a situação. Se o caso for hiperhidrose, problema de suor extremamente excessivo, é possível tratar, aliviando a situação.

Dicas extras para eliminar o mau cheiro

Além do uso de antitranspirante, outras ações podem ser tomadas para eliminar ou diminuir o mau cheiro nas axilas. A primeira delas, recomendada por Lilia, é a higiene adequada na região. A especialista indica o uso de sabonetes antibacterianos para a limpeza.

Mas a dermatologista alerta que sabonetes com ação antibacteriana não são adequados para a pele do corpo todo porque causam ressecamento. “Eles devem ser usados de maneira localizada e em casos específicos”, acrescenta.

Como estratégia adicional, Lilia sugere o uso de compressas com produtos de ação antisséptica, como a água boricada, ou com ervas de ação antitranspirante, como o chá preto.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros