Filhos

Brinquedos para crianças: confira opções para diferentes idades

Por Redação Doutíssima 09/10/2015

Quando o dia 12 de outubro se aproxima, os pais começam a se preocupar em escolher os melhores brinquedos para crianças. Entretanto, não é apenas a diversão da criançada que deve ser observada. É importante atentar para a segurança dos brinquedos e a compatibilidade deles para a faixa etária dos pequenos.

 

Como escolher brinquedos para crianças

Segundo uma publicação da Comissão de Proteção aos Consumidores de Produtos dos Estados Unidos, diversos fatores devem ser considerados na escolha de um presente para as crianças. Destacam-se apelo e interesse que ele despertará, adequação às capacidades física, mental e social e qualidade de fabricação.

brinquedos para crianças istock getty images doutíssima

Diversos fatores devem ser considerados na escolha de brinquedos para crianças. Foto: iStock, Getty Images

Além disso, é importante observar a indicação de idade. Depois de presentear os pequenos, também é fundamental verificar sistematicamente os brinquedos – nenhum deles está imune à quebra e peças estragadas muitas vezes são perigosas para os pequenos.

 

Confira abaixo algumas sugestões de brinquedos para crianças para duas faixas etárias:

 

Dos 6 aos 8 anos 

 

De acordo com a publicação, nessa faixa etária as crianças começam a se interessar mais pelos resultados do que pelos processos para chegar a eles, e aos poucos o espírito “cientista” vai se desenvolvendo. Elas já conseguem ler, escrever e fazer contas aritméticas simples e também usar alguns brinquedos mecânicos – como carros elétricos, por exemplo.

 

Para crianças mais ativas, a bicicleta é um bom presente. Quando os pequenos possuem um espírito “empreendedor”, um quebra-cabeças mais desafiante é uma ótima pedida. Eles gostam de criar histórias e fantasias.

 

Mas e quando se trata de uma menina? Não tenha medo de errar e dê uma boneca. Caso seu filho seja criativo, introduzir um instrumento musical a ele é uma excelente alternativa.

 

Dos 9 aos 12 anos

 

Aqui os pequenos já têm bem desenvolvidas habilidades de leitura, ciência e informática. Eles já conseguem identificar tudo aquilo que efetivamente é prazeroso para eles em termos de brincadeiras – ou seja, é possível dizer que elas já têm alguns hobbies. Essas questões devem ser todas levadas em consideração na hora de presenteá-las.

 

Para crianças mais ativas as bicicletas continuam uma boa pedida, mas agora é possível presenteá-las com um modelo um pouco mais avançado e adequado para a idade. Os quebra-cabeças continuam agradando caso elas tenham espírito de “empreendedores”, mas não esqueça de aumentar o nível de dificuldade – para crianças com mais de 10 anos de idade, já são possíveis quebra-cabeças de 500 a 2 mil peças, conforme a publicação americana.

 

As crianças são criativas? Dê fantoches para que elas possam elaborar suas próprias peças de teatro com eles. Além disso, nessa fase muitas têm bastante gosto pela leitura e os livros são uma ótima pedida – apenas verifique se eles são adequados para a idade dos pequenos.

 

 

Brinquedos eletrônicos?

Depois de ler as sugestões acima você provavelmente está se perguntando sobre os eletrônicos, certo? Pois saiba que é interessante usar o Dia das Crianças para mostrar aos pequenos que há vida fora das telas de TV, computador ou tablets.

 

Segundo um levantamento da Universidade Northwestern, dos Estados Unidos, 55% dos pais não se preocupam com quanto tempo seus filhos passam usando tecnologia e 59% deles não se importam se elas virarem viciadas em aparatos eletrônicos. Trata-se de um problema porque algumas pesquisas mostram que tempo demais gasto nesses dispositivos pode ser prejudicial à saúde.

 

Uma pesquisa publicada no Journal of the American College of Cardiology mostrou, por exemplo, que crianças que passam mais de quatro horas por dia em frente a telas – vale TV, videogame, computador e tablet – possuem 113% maior risco de um ataque cardíaco e 50% mais probabilidade de morrer por qualquer outra causa do que pessoas que ficam apenas duas horas por dia frente a esses aparatos.

 

Um estudo da Academia Americana de Pediatras sugere que muito tempo frente a dispositivos eletrônicos está relacionado com distúrbios alimentares e de sono. Por isso, nesse próximo Dia das Crianças prefira um brinquedo mais clássico – deixando os modernos um pouco de lado.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros