Motivação

LinkedIn: confira dicas para tonar o seu perfil atraente

Por Redação Doutíssima 18/10/2015

Você já ouviu falar no LinkedIn? Lançado em 2003 na Califórnia, o LinkedIn é uma das redes sociais mais conhecidas e utilizadas por profissionais de várias partes do mundo. Ficando atrás somente de Estados Unidos e Índia, o Brasil é o terceiro país do planeta com mais usuários: são 20 milhões de perfis cadastrados.

A rede social é usada por empresas e recrutadores para a contratação de novos funcionários e anúncios de vagas. Por isso, manter um perfil atualizado – e, mais importante, atraente – no serviço é essencial para quem está procurando emprego.

linkedin-Fortissima-iStock-Getty-Images

Rede social é usada para a contratação de novos funcionários e anúncios de vagas. Foto: iStock, Getty Images

Perfis de uso do LinkedIn

Quando for se cadastrar no serviço, é preciso entender que há três perfis de usuários na rede social. Saber como funciona cada uma delas e em qual você se encaixa é o primeiro passo.

O perfil básico é gratuito e dá acesso limitado a determinadas funcionalidades. Você também pode pagar por alguma das versões Premium: o Business Plus dá mais acesso a pessoas de fora de sua rede (conexões de terceiro grau) e possibilidade de acessar gráficos mais específicos de visibilidade.

Já o Job Seeker é destinado aos que querem procurar emprego, dando acessos comparativos de perfis que ajudam a encontrar “o trabalho dos sonhos”. Há também o pacote Sales Navigator para pessoas de vendas, que usam o LinkedIn para abordar clientes de forma mais profissional.

Como ter um perfil atraente no LinkedIn

Se você quer usar o LinkedIn para procurar um novo emprego, o mais importante é ser encontrado. A dica do gerente de Marketing Digital para América Latina da Oracle, Renato Galisteu, é preencher a rede com informações relevantes.

“É crucial você entender que o LinkedIn não é um currículo, então quando for preencher suas atribuições nos cargos, faça uma introdução e depois coloque alguns bullets”, ensina ele. “No seu resumo, conte uma história e escreva em primeira pessoa. Saiba usar palavras-chaves para isso”, afirma.

Além disso, completar as informações de contato (e-mail, telefone, Skype e endereço de blog) são importantes para ser encontrado.

“Adicione habilidades e conhecimentos, para que as pessoas comecem a te endossar pelas suas capacidades. Após adicionar as primeiras, o LinkedIn vai indexando novas habilidades e as pessoas vão clicando e, caso aceite, essas capacidades são adicionadas ao seu perfil”, afirma Galisteu.

Um ponto delicado é a escolha da foto. “Coloque uma foto que diga algo de você. O cara de criação tem que ter uma foto diferente do CEO, que tem que ter uma foto diferente da pessoa do RH”, aconselha.

“Acima de tudo, apele para o bom senso. Selfie, foto do decote (isso, do decote e não do seu rosto), foto com duck face, cara de mal ou ostentando não são legais”, ensina.

Outra dica de Galisteu é que as pessoas façam realmente uso ativo da rede social. “Endosse pessoas, compartilhe conhecimento, dê seu ponto de vista em textos das outras pessoas, gere discussões de valor, participe de grupos, siga companhias, adicione pessoas que conhece, recomende profissionais que trabalhou, procure emprego, poste um emprego”, afirma.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros