Especialidades

Ginástica vaginal: conheça os benefícios dessa prática

Por Redação Doutíssima 06/11/2015

Exercitar seus principais grupos musculares é uma obrigação para melhorar a saúde, mas prestar atenção a alguns poderosos músculos pequenos na região pélvica é capaz de trazer benefícios adicionais. A ginástica vaginal não só irá melhorar sua saúde geral, mas também proporcionar um melhor controle sobre a função urinária.

ginastica vaginal shutterstock doutissima

Objetivo dos exercícios para a vagina é fortalecer os músculos do assoalho pélvico. Foto: Shutterstock

 

Benefícios de fazer ginástica vaginal

O foco dos exercícios para a vagina é fortalecer os músculos do assoalho pélvico. São eles que suportam bexiga, vagina, útero e reto. Os exercícios de Kegel são o tipo de ginástica vaginal mais conhecidos, e particularmente úteis para vários grupos de mulheres:

 

– Grávidas e pós-parto

 

Todas as mulheres que estão grávidas ou que acabaram de ter um bebê devem fazer esse tipo de exercício. Eles são capazes de ajudar a tonificar os músculos vaginais soltos para mulheres que acabaram de ter um bebê.

 

Para aquelas que estão se preparando para a gravidez, manter os músculos pélvicos fortes pode ajudar a prevenir a incontinência urinária no final da gravidez, uma queixa bastante frequente, e também tornar os meses finais da gestação uma experiência mais confortável em geral.

 

Além disso, um estudo de 2004, publicado no British Medical Journal, constatou que mulheres que fizeram exercícios de Kegel regularmente eram menos propensas a experimentar uma fase prolongada do trabalho de parto.

 

– Incontinência urinária

 

A incontinência urinária é definida como a perda do controle da bexiga. Há muitos tipos de incontinência urinária e os exercícios vaginais podem ser úteis para alguns deles.

 

– Evitar um prolapso uterino

 

Quando o útero de uma mulher começa a escorregar para baixo de seu lugar habitual no interior do corpo, através do colo do útero e na vagina, ocorre um fenômeno conhecido como prolapso uterino. Essa condição é menos provável de ocorrer em mulheres com fortes músculos do assoalho pélvico.

 

– Trabalho pesado

 

Quando mulheres têm profissões que requerem trabalho pesado, é bastante recomendável que elas façam esse tipo de exercício.

 

– Saúde

 

À medida em que envelhecemos, os músculos tendem a perder o tom e se tornam mais fracos, e os vaginais não são isentos desses efeitos. A boa notícia é que podemos minimizar isso com o exercício regular dos músculos dessa área.

 

Como fazer exercícios de Kegel

Em primeiro lugar, é preciso encontrar os músculos certos. Há um jeito correto para identificar os músculos do assoalho pélvico. Quando for urinar, tente parar na metade do processo. Se você conseguir, terá encontrado os músculos certos. Depois de identificá-los, é possível começar a fazer os exercícios em qualquer posição – mas é mais fácil fazê-los estando deitada.

 

Aperte seus músculos do assoalho pélvico, mantenha a contração por cinco segundos e depois relaxe por outros cinco segundos. Faça novamente por quatro ou cinco vezes seguidas, mas agora mantenha os músculos contraídos por 10 segundos de cada vez, relaxando durante 10 segundos entre as contrações.

 

É importante ter cuidado para não flexionar os músculos do abdômen, das coxas ou das nádegas. Além disso, evite prender a respiração – ao invés disso, respire livremente durante as sessões. Os especialistas indicam que sejam feitas três conjuntos de 10 repetições por dia.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros