Sexualidade

Matemática do amor: veja dicas para fazer a relação durar

Por Redação Doutíssima 19/11/2015

Será que existe uma matemática do amor? Esse sentimento está longe de ser uma ciência exata, mas a verdade é que diversas pesquisas já buscaram explicar aspectos capazes de fazer uma relação durar mais – ou menos. E conhecendo esses dados, é possível aplicá-los ao seu relacionamento e assim construir sua própria equação do amor para descobrir se ele tem futuro ou não.

matematica-do-amor-doutissima-istock-getty-images

Cultivar bons hábitos entre o casal contribui para a saúde e a durabilidade da relação. Foto: iStock, Getty Images

 

Matemática do amor: sinais antes do casamento

Muitas pessoas buscam cultivar bons hábitos na relação para fazê-la durar apenas depois de trocar alianças. Acontece que um estudo realizado por dois pesquisadores da Emory University, nos Estados Unidos, demonstra que é preciso estar atenta a certos aspectos antes mesmo do casamento.

 

Considerando as altas taxas de divórcio nos Estados Unidos, eles entrevistaram diversos casais que se separaram e fizeram perguntas sobre determinados aspectos. Os resultados mostraram que algumas questões antes e logo após a oficialização do relacionamento podem indicar se o casamento irá durar ou não.

 

Eles observaram que pessoas que se casam depois de três anos de relacionamento possuem 39% menos chances de se separar se comparadas com aquelas que se casaram menos de um ano após se conhecer, por exemplo.

 

Além disso, eles verificaram que os gastos na festa de casamento são uma variável importante. Quem gasta mais de US$ 20 mil na festa tem 46% mais chances de se separar se comparados aos casais que investiram entre US$ 5 e 10 mil, os cientistas apontam.

 

E depois da cerimônia? Pois bem, não deixe de fazer uma lua-de-mel porque os parceiros que saem para essa viagem tão especial têm 46% menos chances de se separar do que aqueles que não dão essa escapada.

 

E o que mais devo levar em conta?

Agora que você já sabe que na matemática do amor até mesmo questões anteriores ao casamento são relevantes para um resultado positivo da equação, que tal aprender e saber como lidar no dia a dia com seu parceiro? Confira o que soma e o que subtrai nessa complicada conta do amor.

 

(+) Beije

matematica do amor shutterstock doutissima

Casais que se beijam com frequência apresentam maiores índices de satisfação. Foto: Shutterstock

De acordo com uma pesquisa publicada no Western Journal of Communication, casais que se beijam com frequência apresentam maiores índices de satisfação com o relacionamento. Além disso, o estudo indica que o ato de beijar tem reflexos positivos na diminuição do estresse e até mesmo nos níveis de colesterol ruim.

 

(-) Dependência

matematica do amor shutterstock doutissima 02

Dependência para questões simples, como dirigir, podem ser decisivas em uma relação. Foto: Shutterstock

Conforme um estudo publicado na revista Psychological Inquiry, antigamente as pessoas identificavam que a dependência entre os parceiros era uma característica de um casamento bem-sucedido, mas hoje não é mais assim. De acordo com a pesquisa, atualmente o sentimento de auto-realização dos parceiros é que indica o sucesso da relação – e o quanto ela deve durar.

 

(+) Atividades desafiadoras

matematica do amor shutterstock doutissima 03

Atividades emocionantes com seu parceiro traz benefícios para o relacionamento. Foto: Shutterstock

Segundo uma pesquisa publicada na revista Social Psychological and Personality Science, fazer atividades emocionantes com seu parceiro traz benefícios para o relacionamento. O grande segredo, indicam os pesquisadores, é tentar sempre driblar a rotina.

 

(-) Materialismo

matematica do amor shutterstock doutissima 04

Casais que encaram o dinheiro como algo secundário têm maior qualidade de relacionamento. Foto: Shutterstock

Uma pesquisa publicada no Journal of Couple & Relationship Therapy indica que há uma conexão entre o materialismo excessivo e a infelicidade no casamento. Esse também foi o resultado de um levantamento conduzido pela Universidade de Princeton, segundo o qual casais que encaravam o dinheiro como algo secundário tinham maior qualidade de relacionamento.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre a matemática do amor? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros