No dia 21 de novembro, é comemorado o Dia Nacional da Homeopatia. Trata-se de uma especialidade médica que considera o ser humano na totalidade e a cura de doenças por meio de substâncias diferenciadas para cada pessoa. Mas como funciona esse sistema e como é feita a atuação do médico homeopata?

Baseada na lei dos semelhantes, a especialidade considera que substâncias capazes de provocar sintomas de determinada doença em uma pessoa saudável também são aptas a curar doentes. 

medico-homeopata-doutissima-istock-getty-images
Cura é feita por meio de substâncias diferenciadas para cada pessoa. Foto: iStock, Getty Images

Para prescrever tratamentos, o médico homeopata leva em conta mais do que as manifestações apresentadas pelo corpo, mas o modo de pensar, predisposições e hábitos do paciente.

A data comemorativa faz alusão à introdução da homeopatia ao Brasil, em novembro de 1840, com a chegada do médico francês Benoît Jules Mure. Hoje, esse método alternativo é reconhecido como especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Médica Brasileira, além de ser recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Conheça os benefícios da homeopatia

A partir da lei dos semelhantes, a homeopatia oferece tratamento de cura e prevenção diferenciado para cada pessoa. Isso porque a doença não é considerada de forma isolada: o médico homeopata pode tratar o mesmo problema com terapias que variam conforme as características do paciente.

Utilizando o mesmo princípio, a especialidade considera que substâncias que provocam sintomas de determinada doença em pessoas sadias têm a capacidade de curar os enfermos com o mesmo problema. Se um paciente sofre com insônia, por exemplo, o medicamento homeopático com café pode ser usado para resolver a questão.

Os tratamentos homeopáticos são muito utilizados para problemas gastrointestinais, dermatológicos, respiratórios e ginecológicos, além de doenças crônicas, como asma e rinite, e para quem tem baixa imunidade. Além disso, é uma alternativa para pessoas com problemas emocionais, como ansiedade e depressão.

O principal benefício da homeopatia consiste no fato de os tratamentos serem menos agressivos do que os convencionais, já que as substâncias – de origem vegetal, mineral e animal – são diluídas em água. Outra vantagem para o paciente é que os sintomas apresentados não são considerados de forma isolada.

Como surgiu a homeopatia

Afinal, qual é a origem dessa especialidade médica? A homeopatia surgiu a partir das experimentações do médico alemão Samuel Hahnemann há mais de 200 anos. Decepcionado com os métodos terapêuticos da época, ele abandonou a medicina para atuar como tradutor.

Após traduzir uma matéria sobre uma substância de cura para a malária e discordar com as explicações sobre os efeitos, ele decidiu experimentá-la em seu corpo. Acabou comprovando a cura pela lei dos semelhantes e, em 1810, publicou o livro Organon da Arte de Curar, sua principal obra, que contém as bases da homeopatia.

Papel do médico homeopata

Tendo em vista a individualização dos tratamentos, o médico homeopata tem o papel de analisar o paciente com uma avaliação de suas características e sintomas. Assim, ele poderá determinar qual é  o melhor medicamento para solucionar o problema ou prevenir doenças.

Vale ressaltar que, no Brasil, a prescrição de remédios homeopáticos pode ser feita apenas por médicos, odontólogos e veterinários. Já as substâncias devem ser manipuladas e compradas em drogarias ou farmácias com um farmacêutico homeopata responsabilizado.

Quem se interessar por esse método alternativo pode recorrer ao Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


DEIXE UMA RESPOSTA