Sexualidade

Técnica combate a flacidez vaginal e melhora estética íntima

Por Redação Doutíssima 28/11/2015

Muitas mulheres podem se deparar com a flacidez vaginal em algum momento da vida. O excesso de relaxamento dos músculos vaginais é uma ocorrência comum após o parto vaginal ou em razão do envelhecimento. Os danos diversas vezes diminuem a sensação durante a relação sexual, mas a boa notícia é que certos tratamentos são capazes de ajudar.

flacidez-vaginal-doutissima-istock-getty-images

Muitas mulheres têm recorrido a procedimentos para melhorar a estética na região da vagina. Foto: iStock, Getty Images

 

Tratamento para flacidez vaginal

Segundo um estudo publicado no International Journal of Obstetrics & Gynaecology, a prevalência atual de flacidez na vagina é de 5,2%. Porém, outra pesquisa publicada no Current Opinion in Urology Journal revela que esse problema pode ir além e que cerca de 76% das mulheres têm risco de desenvolvê-lo em algum momento da vida.

 

A pele vaginal é constituída em grande parte de tecido de colágeno, capaz de se expandir, contrair e voltar ao tamanho original. Ocorre que logo após o parto muitas mulheres experimentam redução na resistência, força e contratilidade do tecido vaginal, e isso pode interferir na qualidade da vida sexual porque reduz sensação e sensibilidade durante o sexo.

 

Além disso, esse problema muitas vezes mexe com a autoestima feminina. “A insatisfação com a aparência da vulva e vagina interfere na sexualidade e autoestima da mulher”, indica Célia Beatriz David, ginecologista especializada em medicina estética. A especialista ainda revela que procedimentos para deixar a vagina mais bonita aumentaram 30%.

 

Para combater a flacidez, um dos tratamentos mais comuns é o preenchimento, geralmente feito com a gordura da própria paciente ou ácido hialurônico. Esse tipo de técnica necessita de anestesia local e dura de 30 a 40 minutos. A recuperação é de 15 dias e, a partir de então, a mulher já pode sentir uma grande diferença.

 

Isso ocorre porque o procedimento proporciona um efeito de volume para reduzir a abertura vaginal, incumbindo às células a cura e a revascularização da área para sustentar o aumento fornecido pela gordura. Quando feito com ácido hialurônico, o procedimento também pode restaurar o volume e suavizar as rugas, dando aos lábios uma aparência mais jovem.

 

Procedimentos alteram a aparência da vagina

A flacidez vaginal não é o único problema que mulheres podem enfrentar. Lábios vaginais muito grandes ou pequenos também são capazes de afetar o bem-estar e a vida sexual feminina. Por isso, novas técnicas vêm surgindo para suprir as necessidades de manutenção da saúde e da aparência vaginal.

 

Algumas delas permitem preencher o tamanho ou clareá-la. É possível ainda reduzir o tamanho com um procedimento cirúrgico – mas isso deve ser avaliado por um médico para evitar problemas de cicatrização.

 

Mulheres mais velhas ou que tiveram parto normal também podem ter a mucosa vaginal retirada, bem como a reaproximação dos músculos para combater o alargamento. A recuperação é de dois a três dias, mas é necessário ficar 15 dias sem exercícios físicos e 45 sem sexo.

 

Uma outra possibilidade é a redução do monte de vênus volumoso, feita com uma lipoaspiração no local. Além disso, o escurecimento da mucosa pós-gestação é capaz de ser feito através de um procedimento simples com anestesia local – dura cerca de 30 minutos e é possível retomar atividades em uma semana e sexo depois de 30 dias.

 

Para aquelas que têm algum tipo de atrofia vaginal e perdem lubrificação, elasticidade e sentem dor na relação, a alternativa é a aplicação de laser de CO2 fracionado. Esse método estimula a produção de colágeno e aumenta a espessura e lubrificação. A sessão é indolor e dura cerca de 15 minutos, mas são necessários sete dias de recuperação.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


Sites parceiros