Motivação > Slider Home

Top Gigi Hadid incentiva autodefesa diante de assédios

Por Tatiana Barros 28/09/2016

Gigi Hadid é uma das modelos mais prestigiadas desta nova geração da moda. E, na última semana, a top, que está acostumada com flashes, atraiu ainda mais os holofotes ao passar por uma situação, no mínimo, desagradável durante o Milão Fashion Week.

Ao sair de um dos desfiles em que se apresentou, a modelo foi assediada por um comediante ucraniano, chamado Vitalii Sediuk. Quando foi carregada pelo indivíduo, Gigi não pensou duas vezes e reagiu, partindo para cima do sujeito com cotoveladas e chutes. A cena desagradável logo virou notícia e houve quem criticasse a reação impulsiva da modelo, diante da violência que sofreu.

A modelo Gigi Hadid não pensou duas vezes e reagiu ao sofrer assédio em Milão. (Foto: Instagram)

A modelo Gigi Hadid não pensou duas vezes e reagiu ao sofrer assédio em Milão. (Foto: Instagram)

Gigi Hadid fala sobre importância da autodefesa para mulheres

Diante das críticas que sofreu, Gigi escreveu um texto para o site no site LennyLetter.com em que desabafou sobre o ocorrido e falou sobre a importância das mulheres reagirem a qualquer tipo de assédio que sofrerem e como a autodefesa a ajudou nesta situação. Confira:

“Como se estivesse em câmera lenta, eu lembro de olhar pra ele, um estranho, e ter como primeira reação: ‘me tirem dessa situação’. Eu costumava jogar vôlei, e meus treinadores sempre falavam sobre memória muscular. Eu comecei a praticar boxe há dois anos e nunca esqueci isso. Desde que comecei a lutar, nunca havia me encontrado em uma situação que me forçasse a revidar alguém, mas isso aconteceu quando ele me agarrou – não foi uma escolha. Eu tenho essa lutadora dentro de mim.

Honestamente, eu senti que estava em perigo e tinha todos os direitos de reagir do jeito que eu reagi. Quero que as garotas assistam ao vídeo e saibam que elas têm todo o direito de lutar também se estiverem em uma situação parecida. Praticar auto-defesa é importante para que, quando você estiver em um momento de perigo, reagir a partir da memória muscular será algo mais natural do que ficar paralisada. A confiança na sua própria habilidade de defesa surge conforme você se educa sobre isso, e é uma vantagem enorme quando você se encontra em uma situação perigosa.

O primeiro artigo que foi publicado [sobre a agressão sofrida por Gigi] tinha o título: ‘isso não é o comportamento de uma modelo. Gigi agride e dá cotoveladas no rosto de um fã depois que ele tenta levantá-la. A supermodelo bateu com raiva um homem desconhecido antes de correr para o carro’. Isso realmente me deixou irritada. Primeiramente porque foi uma mulher que escreveu o texto e colocou tal manchete.O que você diria para a sua filha fazer? Se o meu comportamento não é o de uma modelo, então o que é? O que você teria dito para a sua filha fazer naquela situação?

Quando a minha mãe viu o vídeo do incidente, ela me mandou uma foto do momento que eu dou a cotovelada no cara e (entre outras mensagens de apoio), ela disse ‘boa garota’. Minha mãe me ensina o poder dos meus instintos desde quando eu era criança. Ela sempre dizia ‘OK, preste atenção nas pessoas que te fazem sentir desconfortável. Quero que você sempre lembre dessa sensação’. Eu continuo usando esta intuição com a indústria da moda e as pessoas com quem eu tenho que conviver. Isso geralmente me guia muito bem. E sinto que [esse instinto] me guiou nesta situação também.

Pode soar clichê, mas no momento, aquilo não foi heróico para mim. Eu só fiz o que tinha que fazer. Fico muito sensibilizada por saber que as pessoas veem como algo heróico. Eu sei que as pessoas são colocadas em situações muito piores no dia a dia, e que elas não têm câmeras ao redor para provocar apoio nas redes sociais. Mas eu só quero usar o que aconteceu para mostrar que é direito de todos se defender, e que isso pode ser muito empoderador”, disse.

Confira o vídeo do momento da agressão:

Krav magá: Técnica de autodefesa

O medo do assédio e outros tipos de violências têm feito com que, cada vez mais, mulheres busquem por aulas que as ensinem como se defender caso passem por situações de perigo. E para isso, a opção mais indicada é as técnicas do krav magá, a única luta reconhecida como defesa pessoal e que é utilizada pelas Forças Especiais de Israel. A modalidade tem como vantagens proporcionar maior segurança, disciplina e autocontrole ao praticante.

A proposta do Krav magá é preparar a pessoa para enfrentar qualquer tipo de agressão. No entanto, isso não quer dizer que é para reagir em um assalto, por exemplo, apenas ficarem mais atentas aos riscos e se defenderem. Outra grande vantagem da luta é que pode ser praticada por pessoas de qualquer idade, sexo ou condicionamento físico.

E você? Já praticou técnicas de defesa pessoal? O que achou da reação da Gigi Hadid?


Sites parceiros