Clínica Geral

Entenda o que causa vitiligo e busque prevenir o problema

Por Redação Doutíssima 17/11/2014

Presente em 1% da população, o vitiligo é uma doença cutânea caracterizada pela perda gradativa da coloração da pele, geralmente com o surgimento de manchas claras em todo o corpo.

As lesões, que podem surgir de tamanhos variáveis, formam-se devido à diminuição ou ausência de melanócitos, células responsáveis pela formação da melanina, sendo este o pigmento que dá cor à pele nos locais afetados. E o que causa vitiligo ainda não é claramente conhecido.

o-que-causa-vitiligo

Doença na pele provoca manchas claras e não tem origem conhecida. Foto: iStock, Getty Images

Fenômenos autoimunes parecem estar associados à doença. Além disto, alterações ou traumas emocionais podem estar atrelados ao desencadeamento ou agravamento do vitiligo.

Ainda não se sabe o que causa vitiligo

Apesar de ainda não estar totalmente esclarecido o que causa vitiligo, há três teorias para explicar a destruição dos melanócitos. Uma delas é a teoria imunológica, que admite que a doença está associada a doenças imunológicas como diabetes, anemia perniciosa, lúpus, esclerose, síndrome de Down e tireoidite de Hashimoto, entre outras patologias.

Já a teoria cititóxica sugere que os metabólitos intermediários (dopaquinona e indóis), que são formados durante a síntese da melanina, possam destruir as células melanocíticas.

Por fim, há uma teoria neural sobre o que causa vitiligo, que aponta que um mediador neuroquímico causaria a destruição de melanócitos ou inibiria a produção de melanina. Algumas pesquisas ainda dizem que entre 30% e 40% dos pacientes com vitiligo apresentam histórico familiar e fator genético propício à doença.

Não há como prever a extensão da doença ou o quanto a pessoa perderá da cor da sua pele. As lesões podem surgir em qualquer região do corpo, sendo que as partes atingidas mais comuns são a face, o dorso das mãos, os joelhos e os tornozelos.

Além desses locais, o vitiligo pode se manifestar até mesmo no cabelo, no interior da boca e nos olhos. Apesar de poder afetar pessoas de todos os tipos de pele, ela costuma ser mais perceptível em pessoas com pele mais escura.

Tratamento para o que causa vitiligo

O vitiligo não é contagioso e também não representa risco de vida. Quem convive com esta doença pode levar uma vida normal. É o caso de Luiza Brunet, que trabalhou durante anos como modelo mesmo com as marcas da doença autoimune, que mantém sob controle.

Outro caso conhecido é o do cantor Michael Jackson, e o que causa vitiligo seria o motivo do clareamento de pele que sofreu durante sua vida. Já o ator americano John Hamm desenvolveu a doença nas mãos.

No entanto, as as alterações estéticas muitas vezes podem causar problemas psicológicos que podem prejudicar o convívio social. Em alguns casos, a doença se torna uma espécie de gatilho para o surgimento de problemas psicológicos como a depressão, por exemplo. Quando isto acontece, o acompanhamento psicológico pode ser recomendado.

Os recursos terapêuticos disponíveis hoje em dia podem promover a repigmentação, o controle e a estabilização das lesões, que nem sempre evoluem de forma severa e nas áreas mais expostas.

Apesar de existir cura, o tratamento para o que causa vitiligo pode desacelerar a doença e até mesmo melhorar a aparência da pessoa. O tratamento requer tempo e perseverança por parte do médico e do paciente, com respostas variáveis de acordo com o quadro clínico de cada paciente.

Entre as formas de combater a doença estão medicamentos que controlam a imunidade e que estimulam a pigmentação, antioxidantes, fototerapias e laser, além do tratamento cirúrgico, que utiliza enxertos epidérmicos e transplantes de células epidérmicas para casos mais graves.

Infelizmente não existem formas de prevenção do vitiligo. No entanto, parentes de pessoas afetadas devem realizar uma vigilância periódica da pele e recorrer ao dermatologista caso surjam lesões de hipopigmentação, a fim de detectar a doença precocemente.

 

 


Sites parceiros