Especialidades

Quer parar de roncar? Confira seis tratamentos que podem ajudar

Por Redação Doutíssima 22/11/2014

O ronco pode até ser engraçado quando é alvo de piadas nos sitcoms. Na vida real, no entanto, o ruído pode ser bastante incômodo para quem ouve e constrangedor para quem o emite, e por isso mesmo quem sofre com este problema busca formas de parar de roncar.

O ronco é descrito como o som decorrente da vibração dos tecidos da região da faringe enquanto se dorme. Ele acontece quando há um estreitamento ou bloqueio das vias respiratórias superiores no decorrer do sono, o que atrapalha a passagem de ar e provoca, consequentemente, a vibração e o barulho tão indesejado.

parar-de-roncar

Ronco pode ser combatido com medidas simples ao dormir. Foto: iStock, Getty Images

Ao dormir na posição de decúbito dorsal, isto é, de costas, roncar pode ser um efeito considerado normal, pois a musculatura da garganta se mostra mais flácida e a língua desce alguns milímetros. Quando as vibrações e o barulho se tornam mais intensos, contudo, o ronco deve ser investigado por especialista.

Compreender o ronco para parar de roncar

Antes de buscar soluções, é preciso considerar que o ronco pode ser sinal de outros problemas, como a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), enfermidade que se manifesta a partir da parada respiratória durante a noite.

As interrupções do fluxo de oxigênio, típicas da SAOS, podem durar até dez segundos em adultos, e de dois a três segundos em crianças.

Outras causas associadas ao ronco podem ser: amígdalas e adenoides hipertrofiadas, deslocamento do septo, presença de pólipos, palato em forma de ogiva, rinite, sinusite e obstruções no nariz, palato mole e úvula aumentados e queixo retraído.

Assim, parar de roncar depende do tratamento indicado pelo médico a partir do fator que está motivando os ruídos respiratórios noturnos.

Parar de roncar: tratamentos possíveis

1. Perder peso

Pessoas com sobrepeso costumam acumular gordura não apenas na região do abdômen, mas também na zona do pescoço, o que pode ocasionalmente levar a episódios de ronco. A manutenção do peso não só ajuda a parar de roncar como traz benefícios ao metabolismo como um todo.

2. Veja se não sofre de apneia

O ronco é o primeiro sintoma da apneia noturna. Nestes casos, o tratamento do ronco é fundamental à medida que as oscilações de oxigênio inerentes a este distúrbio ampliam o perigo de complicações cardiovasculares, potencializando as chances de infarto.

O diagnóstico da disfunção é feito através de um exame de polissonografia, onde o sono é monitorado e as funções fisiológicas observadas.

3. Não beba antes de dormir

O álcool favorece o relaxamento da musculatura corporal como um todo. À noite, entretanto, pode provocar o afrouxamento exagerado dos músculos e originar o ronco.

4. Trate alergias respiratórias

Pessoas com rinite alérgica frequentemente se percebem com o nariz entupido, por exemplo, e isso indiscutivelmente pode cooperar para o ronco.

5. Alinhe a arcada dentária

Parar de roncar pode depender da posição correta dos dentes. É que, quando em posição inadequada, eles podem influenciar na respiração e, sim, fazer com que a pessoa ronque.

6. Veja se não tem desvio de septo

Este tipo de inadequação anatômica tem como principal sintoma o ronco e só pode ser resolvida com intervenção cirúrgica. Uma consulta ao otorrinolaringologista pode ajudar a identificar o problema.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros