[the_ad_group id="16403"]
Sexualidade

Fingir orgasmo é uma boa saída?

Por Redação Doutíssima 22/12/2014

Estatísticas apontam que fingir orgasmo tem sido prática comum entre as brasileiras. Há números que mostram que 3% das mulheres nunca teve um orgasmo, 56% estão insatisfeitas com sua vida sexual e 78% não conseguem atingir o clímax durante as relações sexuais.

 

A falta de conhecimento do próprio corpo pode ser atribuída a tão baixa qualidade quando se trata de prazer no sexo. Mas, as entrevistadas apontam o parceiro como grande envolvido nestes números. O egoísmo do homem é uma das principais queixas delas que acabam por fingir orgasmo para agradá-lo e deixam seu próprio prazer em segundo plano.

 

Muitas mulheres forjam o prazer para agradar o parceiro. Foto: iStock, Getty Images

Muitas mulheres forjam o prazer para agradar o parceiro. Foto: iStock, Getty Images

Fingir orgasmo e sexo por obrigação

Para a mulher, o sexo começa pelo cérebro. Nós precisamos de estímulos ao pé do ouvido, de olhares acompanhados de palavras doces ou picantes, além do sexo oral sem pressa. E o problema é que muitos homens acabam por pular estas etapas, com foco na penetração.

 

Com tudo isso, ou na falta de tudo isso, chegar ao orgasmo parece ser uma missão impossível para a mulher que não teve nenhum toque de sedução nem entrou no clima de erotismo. Em muitas dessas situações, a saída é fingir orgasmo ou para se livrar da situação ou, como dito antes, para agradar o parceiro.

 

Há, ainda, situações em que a mulher faz sexo por obrigação. Não está com vontade, mas vai atender o desejo do homem e depois fingir orgasmo. Durante a relação, mil situações passam pela cabeça, menos o que envolve o momento.

 

Isso pode até provocar dor durante a relação, pois os músculos não estão relaxados e a contração gera dificuldade para o homem penetrá-la.

 

A insegurança e a ansiedade da primeira vez com o novo parceiro também pode prejudicar a capacidade da mulher de chegar ao orgasmo. Neste caso, ela está completamente disposta e ligada ao momento mas, por razões que ela não consegue entender, não consegue chegar “lá”. E, novamente, para não frustrar o homem opta por fingir orgasmo.

 

Fingir orgasmo prejudica a mulher

Fingir orgasmo com frequência pode prejudicar a capacidade da mulher chegar ao clímax da maneira mais natural possível: transando com seu parceiro. A longo ou médio prazo, essa escolha também pode gerar conflito e problemas emocionais como depressão e crises de ansiedade, prejudicando ainda mais o sexo e também a relação.

 

Um diálogo sincero entre o casal pode ajudar. Mas antes disso, é vital que a mulher entenda como seu corpo funciona, o que lhe dá prazer e o que a deixa excitada. A masturbação não pode ser mais um tabu para as mulheres. Por isso, elas precisam conhecer seu corpo através desta prática. Assim, poderão guiar o parceiro e juntos vão encontrar o caminho do prazer.

 

Outra saída é buscar a ajuda de um terapeuta, e isso envolve a participação do parceiro. Muitas vezes, ele não sabe que a mulher tem o hábito de fingir orgasmo o que pode gerar insegurança e até desconfiança. Por isso, pense bem antes de adotar o fingimento como saída durante o sexo.  

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]