Filhos

A criança de 2 anos: saiba lidar com seu filho nesta fase peculiar

Por Redação Doutíssima 01/03/2015

Um fenômeno típico da criança de 2 anos tem deixado papais e mamães de cabelo em pé. É a chamada adolescência do bebê, ou o famoso “terrible twos” – terríveis dois anos, em inglês.

É neste momento que a criança de 2 anos descobre que é um indivíduo e inicia uma verdadeira guerra para conquistar seu espaço.

 

crianca de dois anos

As crianças passam por período de rebeldia em que querem conquistar um espaço. Foto: iStock, Getty Images

 

Gritar, bater nos outros, espernear, dizer não para tudo, resistir às orientações e se jogar no chão faz parte deste momento peculiar da criança. A hora precisa de calma e pulso firme, estabelecendo limites e ensinando que este comportamento não leva a lugar algum.

Não tente evitar que seu filho passe por isso, não vai dar certo. O que você tem que fazer é conhecer o processo e aprender a lidar com ele de forma construtiva. Além disso, a intensidade desta não é uma regra para todas as crianças de 2 anos. Algumas demonstram mais, outras menos.

Fase rebelde da criança de 2 anos

Esta fase tem como pico a criança de 2 anos, mas se inicia a partir de um ano e vai até três anos de idade. Tem como causa o desenvolvimento natural da criança, portanto, todos vão passar por este período, que representa grande modificações na vida dos pequenos.

Especialistas explicam que antes de entrar nesta fase, os pais eram o modelo de ação dos filhos. Quando ele se descobre como indivíduo, sente necessidade de tomar decisões por si mesmo e isso faz com que crie resistência em seguir os pedidos dos pais.

Esta fase da criança de 2 anos não é só um momento difícil para a criança, mas também para os pais. Estas atitudes dos pequenos não são conscientes e, por isso, são confusas. A experiência é emocionalmente intensa e cheia de conflitos, por isso requer muita paciência.

Como agir com a criança de 2 anos

Algumas atitudes dos pequenos nos deixam sem chão. Escolhem locais públicos, e os pais ficam com cara de bobos sem saber o que fazer, já pensando em algumas palmadas.

Se a criança se jogou no chão esperneando e gritando em um local público, descarte a força para conter a birra. Nada de palmadas. Em primeiro lugar, antes de sair, converse com ela e diga como espera que ela se comporte e fale também sobre as consequências de seu mau comportamento.

Jamais ceda às manipulações chorosas. Converse com seu filho somente depois da birra, fazendo com que ele compreenda o que fez e o quanto isso não foi legal. Também é importante que você não brigue com ele na frente de outras pessoas, para evitar constrangimentos. Demonstrar irritação só vai piorar a situação.

Especialistas indicam que os pais devem se abaixar na altura da criança, olhar fixo em seus olhos e, com voz firme, repreender sua atitude, explicando que é compreensível que estejam bravos, mas que a atitude é inaceitável.

Se a criança de 2 anos estiver apresentando comportamento autodestrutivo (arranhar-se, bater em sua cabeça e puxar os cabelos), por descontentamento, a indicação é consultar um especialista para avaliar o que está causando angústia no pequeno.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros