Exercícios

Exercícios físicos trazem benefícios para a capacidade cognitiva

Por Redação Doutíssima 18/08/2015

O exercício mental é importante para a saúde do cérebro e a melhora a capacidade cognitiva, mas isso não significa que você nunca precise de um pouco de suor. A atividade física também é essencial. Ela aumenta o fluxo de oxigênio e reduz o risco de doenças que levam à perda de memória, tais como diabetes e doenças cardiovasculares.

 

O exercício também aumenta os efeitos das substâncias químicas do cérebro e reduz os hormônios do estresse. Talvez o mais importante: ele desempenha um papel essencial na neuroplasticidade, aumentando fatores de crescimento e estimulando novas ligações neuronais.

capacidade cognitiva

A prática moderada de atividade física traz diversos benefícios para a mente. Foto: iStock, Getty Images

 

Exercício físico melhora a capacidade cognitiva?

Uma melhora na função cerebral está associada à atividade moderada, principalmente em crianças em crescimento e adultos mais velhos. Os benefícios cognitivos do exercício físico também podem durar décadas.

 

Cientistas decodificaram como a atividade física afeta o cérebro. Um estudo publicado no Journal of Physiological Anthropology mostrou que o exercício melhora diretamente o fluxo de sangue no cérebro e aumenta a funcionalidade de vários neurotransmissores envolvidos em processos cognitivos.

Esse estudo também aponta para efeitos do exercício físico que podem indiretamente ser positivos para a capacidade cognitiva.

 

De acordo com as conclusões de outros pesquisadores, exercícios de resistência desencadeiam a produção de uma proteína muscular, que é liberada na corrente sanguínea e estimula os genes responsáveis pela aprendizagem e pela memória.

 

Capacidade cognitiva de crianças e idosos

Os benefícios são evidentes durante as fases de desenvolvimento. Em um estudo feito pela Universidade de Montreal, no Canadá, as crianças que realizaram uma rotina de exercício aeróbico durante 30 minutos mostraram uma melhora considerável em tarefas de redação e escolha de resposta após a atividade física se comparadas às outras que não se exercitaram.

 

Isso deve servir como incentivo para que os pais façam seus pupilos passarem mais tempo ao ar livre do que em frente à televisão ou do monitor do computador. Além, disso, os benefícios do exercício relacionados à capacidade cognitiva parecem durar por um longo período.

 

Conforme dados de uma pesquisa publicada ano passado, os indivíduos que têm maior aptidão cardiorrespiratória durante a juventude possuem a tendência de apresentar melhor capacidade cognitiva durante a meia-idade, ou seja, de 43 a 55 anos.

Ainda em 2014, cientistas finlandeses publicaram seus dados no jornal Alzheimer’s & Dementia e mostraram que ser fisicamente ativo durante a meia-idade é capaz de prevenir o aparecimento da demência na terceira idade.

 

Muitos estudos têm demonstrado que os efeitos da atividade física para a melhora da capacidade cognitiva são realmente encorajadores. Afinal, todos nós queremos permanecer produtivos e mentalmente alertas como o passar dos anos.

 

A maioria dos estudos indica que apenas em quantidades moderadas de atividade física é possível obter benefícios cognitivos. Quando há exercício intenso, esses efeitos diminuem bastante.

 

Por isso, vale a pena praticar uma atividade que você goste, por um tempo razoável. Cerca de 30 a 60 minutos diários é o essencial para ter todos os benefícios do exercício para o cérebro.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros