Cabelos

Shampoo antiqueda ajuda a prevenir a calvície? Saiba mais

Por Redação Doutíssima 25/08/2015

A queda de cabelo é uma preocupação de muitos homens e mulheres. Uma das alternativas para contornar esse problema é o uso de shampoo antiqueda, um produto que diversas marcas oferecem no mercado. Mas será que ele é realmente eficaz?

 

Para entender se o shampoo antiqueda vai funcionar, primeiro é preciso saber qual a causa da queda de cabelo. Se for por um motivo de doença, deficiência de vitaminas, anemia, hipotireoidismo, depressão, estresse ou outro problema, é muito difícil que o produto funcione.

shampoo antiqueda shutterstock doutissima

Shampoo com a finalidade de evitar a queda capilar previne o avanço da calvície. Foto: Shutterstock

 

Antes do shampoo antiqueda, as causas do problema

Na maioria dessas situações, ao tratar a causa é possível notar a melhora da queda de cabelo. Em casos como estresse e anemia, há grandes chances dos fios caídos voltarem a crescer porque a raiz permaneceu viva.

Quando a calvície, também conhecida como alopecia, é causada por fungos, bactérias e líquens, o problema é um pouco mais complicado e exige atenção de um médico dermatologista para avaliar a situação.

Agora, a queda de cabelo provocada pelo fator genético, essa sim pode ser tratada e prevenida com shampoo antiqueda.

Como funciona o shampoo antiqueda

A primeira informação fundamental sobre o shampoo antiqueda é que ele não faz crescer fios novamente. A fórmula desses produtos não é capaz de estimular o crescimento de bulbos já enfraquecidos.

O que o shampoo antiqueda, encontrado em farmácias e supermercados, realmente faz é prevenir contra o avanço da calvície, promovendo uma boa limpeza do couro cabeludo. A saúde dessa parte da pele é importante para que os fios cresçam saudáveis e fiquem livres de fungos, bactérias e outros probleminhas.

Quando o problema é mais intenso, o shampoo sozinho não faz milagres. Aí devem ser feitos tratamentos recomendados por um especialista com medicações focadas em manter a cabeça cheia de cabelos.

Dois princípios ativos muito conhecidos e recomendados por dermatologistas são o minoxidil e a finasterida. Ambos são usados de formas diferentes, mas os efeitos são similares e eles ainda podem ser usados ao mesmo tempo para resultados mais bem sucedidos. Esses produtos só devem ser administrados com orientação médica.

Essas medicações impedem a queda excessiva de cabelos, melhoram a circulação para estimular o crescimento dos fios e promovem um fortalecimento dos folículos. Mas o efeito só dura enquanto eles forem utilizados. Ao parar o tratamento, a queda de cabelos continuará do estágio em que parou.

Há, ainda, indícios de que o cetoconazol, presente nas fórmulas de alguns produtos para cabelo, possa ter ação preventiva da alopecia, mas não há ainda uma unanimidade entre os médicos. De qualquer maneira, nenhum produto deve ser usado sem a orientação de um especialista.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) lembra que a alimentação é a base de tudo, inclusive de cabelos fortes e saudáveis. Invista na sua saúde como um todo para se prevenir de doenças e até de problemas estéticos como a calvície.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros