Clínica Geral

Dicas de prevenção para evitar o contágio do ebola

Por Redação Doutíssima 21/11/2014

A doença altamente contagiosa que vem apavorando o mundo pelo número de mortos no oeste da África causa ainda mais preocupação pela facilidade de contágio do ebola. Como já houve casos isolados em outros países, o grande medo é que a doença avance para outros locais e faça mais vítimas.

contágio-do-ebola

Doença pode ser evitada com medidas simples de higiene. Foto: iStock, Getty Images

Esta é considerada o maior surto da doença da história. Mesmo com baixo risco de epidemia no Brasil, a Organização Mundial de Saúde (OMS), juntamente com os órgãos de saúde do país, recomenda que as pessoas estejam bem informadas para evitarem o contágio do ebola.

Contágio do ebola acontece por contato direto

A doença é transmitida pelo vírus com mesmo nome, ebola, através dos fluidos corporais como suor, sêmen, muco e saliva. O contágio do ebola também ocorre por contato com vômito, fezes, sangue e tecidos de pessoas ou animais infectados.

Verificou-se que pessoas foram contaminadas pelo contato com o corpo de mortos pela doença, durante a cerimônia de sepultamento. O ebola pode ser fatal em até 50% dos casos, exige suporte de saúde intenso, pois causa um tipo de febre hemorrágica com sangramento dos órgãos.

Sintomas do ebola

A grave doença se manifesta com sintomas agudos e semelhantes a outros vírus infecciosos. Após o contágio do ebola os sintomas podem começar a se manifestar entre 2 e 21 dias depois.

As primeiras manifestações podem ser semelhantes a uma gripe, com febre, dor de garganta, dor de cabeça, dores musculares e fraqueza. A doença passa a ser contagiosa quando os sintomas começam a se manifestar.

Conforme a doença progride, os sintomas também se tornam mais agudos, além de outras manifestações como vômito, olhos vermelhos, diarreia, hemorragias internas e externas, hemorragias ou erupções na pele e mucosas.

O vírus não é transmitido pelo ar, então é difícil que um viajante se contamine se não houver nenhum contato. Não há um tratamento de cura para o ebola. Os sintomas é que devem ser tratados de forma intensiva.

Como evitar o contágio do ebola

Como não há casos de ebola no Brasil, o ideal é não visitar, a menos que seja essencial, os países que estão em surto da doença, como a Guiné, Uganda, Congo, Libéria e Serra Leoa. Se viajou para alguma destas localidades, fique atendo ao surgimento de qualquer sintoma.

Realizar pesquisa com animais provenientes destas localidades, principalmente morcegos e primatas, pode ser arriscado. Estes animais são agentes da doença e podem possuir o vírus.

Como já citado, o corpo de pessoas mortas pela doença também pode ser um agente de transmissão. Pessoas que morrem com ebola devem ser enterradas o mais rápido possível e com devido cuidado.

Prestar assistência médica a pessoas contaminadas é um grande risco. Os médicos e enfermeiros que trabalham em áreas em surto, ou mesmo os profissionais de saúde que cuidaram de pacientes contaminados pontualmente em outros países, precisam de cuidado redobrado.

Não pode haver nenhum tipo de contato com o paciente doente sem a roupa de proteção completa e a retirada do equipamento deve ser realizada com procedimento específico e cuidado extremo para não haver contágio do ebola. O transporte de pessoas doentes ou suspeitas deve ser feito em veículo especial e o paciente deve ser mantido em isolamento.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros