Clínica Geral

Meningite viral: entenda as causas e conheça tratamentos

Por Redação Doutíssima 29/11/2014

A meningite viral é uma doença grave geralmente causada por vírus que infectam o intestino, podendo também ser motivada por outros tipos de vírus como o da caxumba, catapora e de herpes.

Apesar da alta morbidade e mortalidade da meningite, a meningite viral, em geral, evolui de forma benigna, apresentando um prognóstico favorável que se resolve naturalmente com o passar do tempo. Ela representa de 70 a 80% dos casos de meningite.

meningite-viral

Doença costuma atacar crianças e precisa de tratamento. Foto: iStock, Getty Images

Contágio da meningite viral

A porta de entrada dos vírus intestinais é a boca e, por isto, crianças com menos de 5 anos são as mais vulneráveis à meningite viral – principalmente bebês em fase de amamentação.

A contaminação costuma se dar por meio de gotículas de saliva emitidas pela tosse ou por espirros, ou também por resíduos de fezes se mãos, talheres e alimentos não forem adequadamente lavados.

Com sintomas iniciais parecidos com o de um simples resfriado, a meningite viral se manifesta por meio de dores de cabeça forte, febre, vômito e rigidez do pescoço, devido à inflamação das meninges, que são o tecido que envolve o cérebro e a medula.

Os sintomas da doença geralmente aparecem entre 7 e 14 dias após a contaminação, ou até 21 dias depois, dependendo do tipo de vírus envolvido. Em crianças com menos de um ano de idade, além dos sinais já mencionados, pode ocorrer o abaulamento da “moleira”. A criança ainda pode apresentar pele pintada, diarréia e dor muscular.

Cuidados ao tratar a meningite viral

A infecção costuma durar, em geral, menos de uma semana e os pacientes quase sempre se recuperam completamente. Porém algumas pessoas podem continuar sentindo fadiga, fraqueza e tonteira por meses.

Por ser mais branda que a bacteriana, a meningite viral raramente necessita de internação para que seu tratamento. Por isto, o agente etiológico, a idade, o grau de imunidade, o diagnóstico precoce e cuidados médicos adequados são fatores que influenciam fortemente na gravidade e evolução da doença.

Como a maioria dos casos de meningite viral tem boa evolução, não havendo uma medicação específica para a doença, o tratamento é voltado para o alívio das queixas do pacientes e prevenção de complicações.

A administração de antitérmicos como dipirona, por exemplo, ajuda a diminuir a febre. Além disto, durante a recuperação, devem ser tomados cuidados quanto à posição do paciente na cama.

É indicado que a cabeceira fique numa posição superior, inclinada em torno de 30% do normal. Em casos mais simples da doença, a melhora do paciente pode ser percebida depois de um ou dois dias de tratamento.

A internação geralmente é necessária para evitar a desidratação causada pelos vômitos e para diminuir as dores de cabeça. Quando a meningite é causada pelo vírus da herpes ou da catapora, o médico deve empregar um medicamento específico e o paciente deverá ser internado.

Como a meningite viral pega, os cuidados higiênicos básicos são fundamentais na prevenção contra a doença. Lavar as mãos e evitar o contato próximo com pessoas com a doença são medidas eficazes.

Os cuidados devem ser redobrados no verão, que é quando a doença se torna mais frequente. Além disto, é possível se prevenir contra a catapora, poliomielite e caxumba, que são doenças causadas por vírus que podem causar meningite.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros