[the_ad_group id="16401"]
Clínica Geral

Confira dicas de como tratar e prevenir a bursite

Por Redação Doutíssima 16/12/2014

 A bursite se apresenta como uma inflamação que acontece na bursa, um pequeno reservatório que contém o líquido das articulações. Essa bolsa fica localizada entre o tendão e a pele ou osso. A doença costuma aparecer nos ombros, cotovelos, quadris e joelhos.

 

O problema provoca dores nos ossos, tendões e tecidos dos músculos, já que compromete o amortecimento dessas partes do corpo.

 

bursite

Manter o peso e exercitar-se são dicas para evitar a doença. Foto: iStock, Getty Images

 

Bursite limita movimentos

 

Complicações da bursite aparecem através de dores, inchaços (chamados de edemas), inflamações e dificuldade para exercer movimentos. Em geral, esses problemas surgem em decorrência de infecções, lesões em função de algum esforço físico, atrito constante das articulações, movimentos muito repetitivos e traumatismos.

 

A artrite, que é uma das formas de inflamação das articulações, e a gota (quando o ácido úrico aparece na articulação) também são causas da doença, que pode ser aguda ou crônica.

 

Tratamento

 

Para diagnosticar a bursite, o médico costuma solicitar um ultrassom ou uma ressonância magnética, após o exame físico. Depois de detectada a doença, as primeiras medidas são basicamente as mesmas para todos os pacientes.

 

Repouso, aplicação de gelo no lugar da lesão e ingestão de analgésicos são as principais recomendações médicas. Outras formas de tratamentos, para casos mais graves, consistem em uso de antibióticos, injeções, fisioterapia, punção e cirurgia.

 

O uso do medicamento antibiótico é feito quando a bursite causa inflamação em decorrência de alguma infecção. As injeções são aplicadas com corticosteroide, diretamente no local afetado. Esse procedimento alivia rapidamente a dor porque age com eficiência na inflamação.

 

A fisioterapia é feita através de exercícios com a finalidade de fortalecer a musculatura da região afetada, buscando amenizar as dores e evitar uma possível reincidência.

 

A punção esvazia o líquido da inflamação, reduzindo o processo inflamatório. Já a cirurgia é feita quando nenhum dos métodos comuns ou as terapias fazem efeito.

 

Prevenção da bursite é feita no dia a dia

 

Não são todos os tipos de bursite que podem ser evitados, mas a doença pode ter seus sintomas diminuídos se algumas medidas forem tomadas. Prevenir os riscos da doença também é fácil, através de cuidados na rotina em casa e no trabalho.

 

As almofadas são indispensáveis para quem permanece muito tempo de joelhos, praticando yoga, exercícios ou algo do tipo. Elas reduzem a pressão do corpo para quem fica ajoelhado. Preenchimentos estofados também podem ajudar.

 

Realizar alongamentos e aquecimento antes de atividades físicas protege as articulações. Além disso, o exercício fortalece os músculos e melhora a flexibilidade, o que diminui a incidência da doença. Levantar-se devagar, dobrando os joelhos sem exercer muita pressão nos quadris é uma maneira de prevenir o problema, que decorre do atrito nas articulações.

 

Mudar posição durante o trabalho, para quem permanece muito tempo sentado, reduz a pressão nos quadris e nas nádegas. Levantar-se e esticar o corpo periodicamente também auxilia na prevenção.

 

Distribuir bem o peso nos ombros e na cabeça é muito importante. A sobrecarga compromete o corpo e as articulações, principalmente. Por fim, o peso saudável é um aliado no combate à bursite, já que não compromete a flexibilidade corporal, evitando o surgimento da doença.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]