[the_ad_group id="16401"]
Clínica Geral

Dermatite atópica: conheça as causas e veja como tratar

Por Redação Doutíssima 19/01/2015

Também conhecida como eczema atópico, a dermatite atópica é um dos tipos mais comuns de inflamação crônica da pele. A doença é caracterizada por lesões avermelhadas, que coçam muito e, às vezes, descamam.

 

Geralmente, a dermatite atópica se manifesta na face em crianças pequenas. Em crianças maiores e adultos, a doença aparece nas dobras dos joelhos e cotovelos.

 

Causas da dermatite atópica

 

Ainda é desconhecida a causa exata da dermatite atópica, mas os médicos acreditam que a doença possa ter relação com a combinação de pele seca e irritável com o mal funcionamento do sistema imunológico.

 

Muitos especialistas no assunto também acreditam que a dermatite atópica tenha uma base genética.  Conforme essa linha de estudo, as origens deste tipo de eczema estariam atreladas às causas da asma e da rinite alérgica.

 

Contudo, essa condição não é observada em todos os casos da doença. Em outras palavras, para o prognóstico, a presença de asma e rinite alérgica pode ser um indicativo de dermatite atópica.

dermatite atópica

Doença causa coceiras e pode estar relacionada à asma e à rinite. Foto: iStocky, Getty Images

Conheça os sintomas

 

Os principais sintomas da dermatite atópica são a forte coceira e lesões vermelhas sobre a pele. Devido à coceira, a pele pode sofrer escoriações, que tornam a área afetada muito vulnerável para a penetração de bactérias.

 

Diagnóstico da dermatite atópica

 

Não existe um exame específico para diagnosticar definitivamente a dermatite atópica. Então, o diagnóstico é clínico, feito por um médico durante a consulta, que pode se valer de exames da pele e históricos médico e familiar para identificar a doença.

 

Dermatite atópica tem tratamento

 

Na maioria dos casos, o tratamento da dermatite atópica é feito a base de medicamentos (por via oral ou tópica). Por via oral, são indicados os anti-histamínicos, que podem ajudar a diminuir a coceira que acompanha essa doença.

 

Geralmente, esses remédios podem ser comprados sem receita médica. Existem alguns anti-histamínicos que podem causar sonolência, por isso é importante consultar seu médico para verificar opções de medicações que não causem essa sonolência.

 

O tratamento mais utilizado é o tópico (aplicado sobre o local afetado). Para muitos casos, é receitado um creme ou uma pomada suave de cortisona (ou esteroide).

 

Dicas para não agravar o problema

 

Sabe-se que o frio extremo, temperaturas altas ou mudanças bruscas de temperatura são mal toleradas pelas pessoas com dermatite atópica.

 

O aumento da transpiração causado pelo calor ou exercícios físicos, pode resultar em uma sensação de “pinicação” e aumento da coceira. A umidade baixa do ar durante o inverno também pode contribuir para piora da situação.

 

Vale lembrar que a prática de exercícios leves ou moderados não é contraindicada, mas a natação só pode ser praticada se o cloro for retirado imediatamente com um banho logo após de se retirar da piscina.

 

Por fim, é importante salientar que a dermatite atópica não é contagiosa. Ou seja, não existe qualquer risco do contato de uma pessoa saudável com a pele de alguém afetado pela doença.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]