[the_ad_group id="16403"]
Guia do Sexo Anal

Sexo entre dois homens: os principais cuidados com sua segurança

Por Redação Doutíssima 07/02/2015

O sexo entre dois homens exige uma série de cuidados especiais em relação à saúde. Camisinha e gel lubrificante devem ser parceiros inseparáveis para quem faz sexo anal. Exames de sangue regulares devem fazer parte da rotina dos homens sem parceiro regular e também com um relacionamento estável – afinal confiança é importante, mas ninguém está livre de uma “puladinha de cerca” por parte do parceiro.

sexo entre dois homens

Penetração anal, seja em homem ou mulher, exige proteção. Foto: iStock, Getty Images

Camisinha no sexo entre dois homens

O ânus humano é uma região de extrema sensibilidade. Nele, há uma infinidade de terminações nervosas, por isso essa região também é uma grande geradora de prazer e, quando friccionada, como no caso do sexo anal, pode romper algum vaso sanguíneo minúsculo que há no local e provocar sangramentos.

O líquido sexual do homem, em contato com esse sangue, é um potencial agente de contaminação de doenças graves como aids, gonorreia, sífilis, hepatites B e C e herpes, por exemplo. O risco de contaminação destas doenças aumenta em 50% no sexo entre dois homens. Por isso, a camisinha é essencial. O preservativo protege tanto o homem ativo quanto o passivo de qualquer contaminação da doença.

Não esqueça do lubrificante

O gel lubrificante deve sempre fazer parte do sexo entre dois homens. O produto, aplicado no ânus e no pênis, facilita a penetração. Evite usar géis com anestesiantes, pois eles adormecem a região e você pode não perceber quando está havendo algum machucado, o que pode ser bastante prejudicial e doerá bastante depois..

Exames regulares

Homossexuais fazem parte do grupo de risco de qualquer planejamento de saúde pública em relação às doenças sexualmente transmissíveis. Muitos podem pensar que essa é uma forma de aumentar o preconceito, mas na verdade isso acontece por dois motivos.

O primeiro é que o sexo entre dois homens costuma ser feito com menos proteção, ou seja, sem o uso de camisinha na maioria das vezes, e os homens homossexuais mantêm um número maior de parceiros, aumentando assim as chances de contaminação. Daí, a importância dos testes regulares de saúde.

Independentemente se você fez ou não sexo em proteção, é importante buscar um centro de saúde para fazer exames de sangue, pelo menos a cada três ou quatro meses. Todos os testes são oferecidos pelo Sistema Único de Saúde. Apesar de os homossexuais comporem um grupo de risco, a recomendação vale também para pessoas heterossexuais.

Sexo entre dois homens ainda é tabu

O homossexualismo, o bissexualismo, o qualquer outro nome que se dê quando envolve sexo entre dois homens ainda é visto com preconceito por boa parte da sociedade brasileira. Por mais que as coisas venham mudando nos últimos anos, ainda é comum vermos notícias sobre mortes de gays, pelo simples fato de eles gostarem de homens, e de pais expulsando filhos de casa por não aceitarem a opção sexual do filho.

Por isso, é importante que haja denúncia de casos envolvendo homofobia e uma atitude de empoderamento sobre a causa. Não é da noite para o dia que se muda um pensamento, mas com atitudes contínuas e repetidas.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]