Esporte

Luta greco-romana exige força e estratégia de competidores

Por Redação Doutíssima 10/09/2015

A luta greco-romana é o esporte competitivo mais antigo das Olimpíadas e promete grandes emoções para o Rio 2016. Nesse tipo de luta, os concorrentes utilizam apenas os braços e a parte superior do corpo para atacar.

 

Além disso, trata-se de uma modalidade que nos Jogos Olímpicos possui apenas competição masculina. Se você não conhece o esporte, vale a pena descobrir mais sobre ele.

luta greco-romana

Luta presente nas Olimpíadas promove melhora no equilíbrio e fortalece os músculos. Foto: Shutterstock

 

Da Grécia antiga às Olimpíadas modernas

Desde o início dos tempos, os homens foram colocados uns contra os outros em combates físicos, tornando esse tipo de luta o mais antigo dos esportes olímpicos. É um conceito simples: dois homens lutam até que um seja declarado vencedor.

Ao longo dos anos, as técnicas se tornaram mais sofisticadas e, de um modo geral, o ganhador é aquele que possui melhor técnica, força e condicionamento físico geral.

 

A Luta Olímpica, ou Olympic Wrestling, é reconhecida como o mais antigo esporte competitivo do mundo. Desenhos rupestres de lutadores foram encontrados já em 3.000 a.C. O esporte foi introduzido nos jogos olímpicos antigos, em 708 a.C. É importante não confundir porque há três estilos de luta olímpica: greco-romana, livre masculino e livre feminina.

 

Quando os jogos olímpicos foram retomados e entraram em sua fase moderna em Atenas em 1896, a luta tornou-se o foco da competição. Isso aconteceu porque os organizadores consideravam-na historicamente significativa – a luta greco-romana é considerada uma versão pura da luta antiga.

 

Os países que dominam esse esporte atualmente são Rússia, Irã, Turquia e Mongólia. Neles, a luta olímpica é considerada esporte nacional e não é por outro motivo que eles possuem campeões de alto nível.

Nos Jogos Olímpicos de Sydney em 2000, o programa de luta greco-romana foi modificado e passou a ter oito categorias de peso – em oposição às 10 que eram usadas desde os jogos de 1972, em Munique.

 

Quais são as regras da luta greco-romana?

Na luta greco-romana os lutadores usam apenas seus braços e parte superior do corpo para o ataque, e só podem tocar nessas mesmas partes dos adversários.  O estilo livre é uma forma mais aberta, em que lutadores usam também as pernas e podem deter adversários acima ou abaixo da cintura.

 

Os concorrentes têm apenas três rounds de dois minutos para estabelecer sua superioridade. O vencedor é aquele que mantiver seu adversário com as costas presas ao tatame. Se não houver um vencedor assim, ganha aquele que receber a maior pontuação devido a movimentos técnicos.

 

Há também algumas regras peculiares. Os competidores usam uma malha e botas na hora da luta, e precisam portar um lenço para limpar qualquer pingo de sangue que houver. Os homens para lutar ou devem estar barbeados ou ter a barba sem fazer há vários meses, para não machucar o oponente.

 

Como praticar a luta greco-romana

Para quem deseja praticar uma modalidade de luta, a greco-romana é uma ótima opção para principiantes porque tem regras rígidas. Além disso, fornece um treino de corpo inteiro, capaz de aumentar a frequência cardíaca e melhorar a aptidão cardiovascular, os reflexos e o equilíbrio.

 

Os lutadores greco-romanos desenvolvem muita força de membros superiores em relação ao seu tamanho. Os músculos do ombro e do pescoço são reforçados. Por isso, vale a pena buscar uma academia ou clube que ofereça a modalidade.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 

 

É fã do Doutíssima? Acompanhe o nosso conteúdo pelo Instagram!


Sites parceiros