Você já deve ter ouvido falar, ou mesmo já ter sentido, o inchaço abdominal. Mas será que deu a devida importância? Trata-se de quando o abdômen se mostra cheio de maneira desconfortável, em volume maior que o normal. Estudos apontam que o problema, também chamado de distensão abdominal, afeta entre 10 e 30% de adultos.

 

Além de atrapalhar a rotina das pessoas em suas atividades sociais ou profissionais, o inchaço abdominal pode sinalizar complicações sérias de saúde. Por isso, ao menor sinal de alteração em seu abdômen, a orientação é buscar ajuda médica imediatamente.

inchaco abdominal
Intolerância à lactose, azia e prisão de vente estão entre as causas da distensão abdominal. Foto: iStock, Getty Images

 

Sinais de inchaço abdominal merecem mais atenção

A procura de ajuda médica é essencial, especialmente por que os sintomas do inchaço abdominal são muito amplos, vagos e difíceis de serem localizados. No entanto, os relatos médicos apontam que muitos pacientes descrevem uma sensação de intenso desconforto e aperto no abdômen.

A distensão abdominal ainda pode ocasionar outra série de sinais como grande quantidade de gases, muita dor e uma frequência considerável de arrotos.

E se os sintomas desse desconforto todo são vagos, suas causas também são muito variadas. Desde o fato de engolir ar até uma doença grave.

Entre as causas mais comuns de inchaço abdominal, os especialistas destacam prisão de ventre, azia, síndrome do intestino irritável, comer muito rápido, aumento de peso, crescimento em excesso de bactérias no intestino delgado, a menstruação, parasitas intestinais (giardíase), anormalidades anatômicas ou de estrutura do trato gastrointestinal.

Além disso, alergias alimentares e intolerância à lactose, segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai), podem causar inchaço no abdômen.

Quando se trata de doenças graves, o inchaço abdominal pode estar associado a patologias como fluido na cavidade abdominal (ascite), como resultado de tumores malignos, doença do fígado, insuficiência renal, insuficiência cardíaca congestiva, intolerância ao glúten de trigo e câncer de ovário.

Também pode estar ligado à insuficiência pancreática, que se caracteriza pelo prejuízo na digestão porque o pâncreas não tem capacidade de produzir enzimas digestivas em quantidade suficiente.

Tratamento para o inchaço abdominal

Na maioria dos casos, a distensão do abdômen pode ser resolvida mediante a mudança de hábitos, quando a pessoa opta por levar uma vida mais equilibrada e com mais qualidade no que se refere à alimentação e dedicação a alguma atividade física. Diminuir o consumo de bebidas gaseificadas também ajuda muito nesse processo.

De qualquer forma, se você acredita que seu abdômen tem um volume maior que o normal, deve procurar orientação profissional em qualquer sentido. Se for por excesso de peso, depois de uma avaliação médica, é importante buscar apoio de um nutricionista ou nutrólogo.

Adotar uma dieta que contemple todos os nutrientes dos quais o corpo precisa, em quantidade suficiente, certamente vai ajudar a diminuir o volume de seu abdômen.

O caso pode ser ainda mais urgente se junto à distensão abdominal você perceber sinais como dores, sangue nas fezes, diarreia, azia persistente, vômitos e perda de peso sem razão aparente (apesar do volume abdominal).

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 

 

É fã do Doutíssima? Acompanhe o nosso conteúdo pelo Instagram!