No mundo acelerado de hoje muitas pessoas passaram a considerar um luxo dormir o suficiente. As horas que deveriam ser gastas para descanso acabam virando o melhor horário para televisão, jogos, internet e trabalho. Acontece que os efeitos de passar a noite em claro podem ser graves e gerar consequências negativas sobre a saúde em geral.

 

Privação do sono causa problemas de saúde

Passar a noite em claro muitas vezes tem efeitos devastadores no dia seguinte – mau humor e dificuldades no trabalho ou estudos, por exemplo. Mas você sabia que isso também é capaz de ter consequências profundas sobre sua saúde física?

passar-a-noite-em-claro-doutissima-istock-getty-images
Estudos mostram que passar uma única noite em claro já é capaz de trazer prejuízos à saúde. Foto: iStock, Getty Images

Esses problemas podem incluir depressão, ganho de peso e doenças cardíacas. Por isso, nada melhor que uma boa noite de sono para manter a saúde em dia.

 

Se você acha que passar a noite em claro uma única vez não é perigoso, vale a pena repensar. Pesquisadores da Universidade de Uppsala e do Instituto Karolinska descobriram que os genes controladores do relógio biológico são alterados depois de perder uma simples noite de sono. As conclusões foram publicadas no Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism.

 

Muitas pessoas não estão acima do peso e não possuem histórico familiar de acidente vascular cerebral. Ocorre que se elas dormirem pouco as chances de tê-lo aumentam, segundo um estudo apresentado na conferência Sleep em 2012 – e isso mesmo sem os clássicos fatores de risco desse problema.

 

Além disso, pessoas que trabalham no período noturno e passam as noites em claro queimam menos calorias que aquelas que dormem em horário normal. Isso significa risco aumentado de ganho de peso e obesidade, segundo um estudo conduzido pela Universidade de Colorado Boulder.

 

E não é só isso. Em realidade, as pessoas que dormem pouco parecem morrer mais jovens independentemente da causa se comparadas àquelas que dormem cerca de 6,5 a 7,5 horas por noite. É o que indica um levantamento publicado na revista Sleep, em 2010.

 

Como evitar passar a noite em claro

Para evitar qualquer problema relacionado ao sono é preciso verificar a causa pela qual isso pode estar ocorrendo. Se você está usando esse horário para alguma atividade, procure reorganizar o seu dia e garantir as oito horas necessárias de descanso diário que você precisa.

 

Por outro lado, caso a causa seja biológica, o ideal é fazer algumas alterações no estilo de vida. Primeiro crie uma rotina de sono, indo para a cama e levantando sempre no mesmo horário todos os dias – inclusive finais de semana. Evite também as famosas cochiladas ao longo do dia, que podem tornar mais difícil dormir à noite.

 

Além disso, pare de ingerir bebidas com cafeína pelo menos oito horas antes de dormir. Tenha atenção a bebidas alcoólicas e cigarro: elas interferem na qualidade do sono, e ele contém a nicotina, que é um estimulante.

 

A sua alimentação noturna também merece adaptações: não coma alimentos pesados dentro de duas horas antes de deitar-se, evite os gordurosos, que são de difícil digestão, e os picantes ou ácidos, capazes de causar azia.

 

Vale a pena ainda praticar exercícios físicos. O exercício regular pode melhorar os sintomas de insônia. Cerca de 30 minutos ou mais de atividade na maioria dos dias são suficientes, mas não muito perto da hora de dormir.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


DEIXE UMA RESPOSTA