Amor e Sexo > Sexualidade

10 álbuns brasileiros com sequências maravilhosas de músicas para transar

Por Debora Stevaux 25/06/2018

Nós já te contamos que 90% dos brasileiros concordam que a música melhora o desempenho sexual. Mas na última seção que fizemos, sugerimos apenas álbuns internacionais recém-lançados, modéstia parte, um som melhor que o outro para deixar seu momento a dois ainda mais especial.  

Endossando o coro de 90% dos brasileiros que concordam que a música melhora o desempenho sexual, listamos abaixo 10 álbuns com deliciosas sugestões de músicas para transar made in Brazil. (Foto: iStock)

E para endossar o coro dos 63% dos que afirmaram que a música é obrigatória durante suas transas, garimpamos o que temos de mais envolvente e sensual na música popular brasileira para pintar um clima entre você e seu ou sua parceira.

Leia mais: 8 cenas de sexo do cinema de tirar o fôlego.

Então, seguindo a mesma linha de soltar o play e deixar os movimentos entre vocês dois ainda mais sincronizados e prazerosos, listamos 10 álbuns brasileiros com sequências maravilhosas de músicas para transar:

10 álbuns brasileiros com sequências maravilhosas de músicas para transar

“Nobody Can Live Forever The Existential Soul of Tim Maia” – Tim Maia 

A coletânea reunida pelo selo norte-americano Luaka Bop, do ex-integrante do Talking Heads, David Byrne, e lançada no ano de 2012 é só sucesso para embalar aquele momento a dois. O disco foi lançado para comemorar 70 anos do aniversário do cantor carioca.

“Lança Perfume e Outras Manias – Rita Lee 

O disco lançado em 1992 pela cantora paulistana reúne os grandes sucessos da sua carreira até então. Perfeito para pintar um climinha a dois, o álbum com 18 músicas reúne as irresistíveis “Doce Vampiro”, “Mania De Você” e “Flagra”. Perfeito para ouvir dando uns amassos no crush enquanto Rita canta com voz suave entoa os versos “Meu bem, você me dá água na boca”.

Veja também: Por que não? 6 dicas para transar menstruada

“Fa-Tal – Gal a Todo Vapor” – Gal Costa 

Eleito pela revista Rolling Stone como o 20º melhor disco brasileiro de todos os tempos, este álbum lançado em 1971 é um dos mais marcantes da carreira da cantora baiana. Com pouco mais de uma hora de voz angelical, como é caracterizada pelo rapper Tyler, The Creator, o compilado de 19 faixas é perfeito para movimentos lentos e bem compassados entre quatro paredes.

“Realce” – Gilberto Gil 

Lançado em 1979, esse disco é um dos mais aclamados da carreira de um dos maiores cantores da nossa música. O álbum original conta com nove faixas, que são complementadas por outras sete canções de bônus. Para além da música homônima que dá nome à obra, uma das músicas mais especiais do álbum é a versão de Gil para “No Woman, No Cry”, que leva o nome de “Não Chore Mais”.

Leia mais: 7 dicas para se proteger e fazer um sexo lésbico seguro com sua parceira

“A Tábua de Esmeralda” – Jorge Ben Jor 

Tido como o mais importante do cantor carioca, o disco lançado em 1974 é o décimo primeiro da sua trajetória brilhante pelos ritmos da música popular brasileira. Considerada uma verdadeira alquimia musical por críticos, a compilação reúne doze músicas propícias para passar bons momentos a dois com canções como “O Homem da Gravata Florida”, “Minha Teimosia, Uma Arma Para Te Conquistar”, “Brother” e “Cinco Minutos”. Essa última para uma despedida dramática, por que não?

“A Volta de Secos & Molhados” – Secos & Molhados 

O disco de estreia do trio formado por Ney Matogrosso, João Ricardo e Gérson Conrad foi lançado em 1973 e é um dos mais aclamados pela crítica até os dias de hoje. O figurino e a maquiagem carregados de cores, ousadia e extravagância são consoantes às músicas produzidas pelo grupo. Aqui, a gente ressalta a “Não, não digas nada”, que é perfeita para ouvir na intimidade a dois.

Veja também: 6 dicas para não errar na hora de comprar o vibrador feminino ideal para você

“Transa” – Caetano Veloso 

Lançado em 1971 pelo cantor carioca, o álbum foi feito enquanto Caetano estava exilado em Londres como forma de protesto a um pedido dos militares para que ele fizesse uma canção enaltecendo a  rodovia Transamazônica. Com melodia suave e, ao mesmo tempo, rompante, a compilação curtinha de pouco mais de meia hora é um dos discos mais aclamados do cantor.

“Manual” – Boogarins 

O disco que também possui o nome de “Guia Livre de Dissolução dos Sonhos” é o segundo do quarteto goiano Boogarins. Lançado em 2015, o disco foi produzido na Espanha, quando os quatro integrantes estavam em turnê pela Europa. Tente sincronizar as distorções de “Auchma” ou “6000 Dias” com seus movimentos para ver se não rolam faíscas na cama…

Leia mais: 4 dicas práticas de como apimentar sua relação

“Letrux Em Noites de Climão” – Letrux 

O álbum lançado em 2017 pela cantora carioca multifacetada Letícia Novaes após mergulhar no projeto solo com o fim da banda Letruce não é sugestivo só pelo nome. “Que Estrago”, “Coisa de Banho de Mar” e “Flerte Revival” são só três exemplos de músicas com um potencial indescritível de pintar um climão entre você e seu parceiro. Vale até repetir ao pé do ouvido: “Menino, tu é um perigo. Me avisaram mas não deu tempo.”

“Esú” – Baco Exu do Blues 

Lançado também em 2017 pelo rapper baiano Diogo Moncorvo que usa o nome de Baco Exu do Blues para assinar seus projetos musicais, o disco é, em disparada, um dos melhores da música brasileira recente. Com a introdução produzida por KL Jay, integrante do Racionais MC’s, duas das canções mais favoráveis para aproveitar o momento ao lado de quem se gosta são: “A Pele Que Habito” e, é claro, “Te amo Disgraça”.

Veja também: 6 dicas para fazer sexo oral em mulheres


Sites parceiros