[the_ad_group id="16401"]
Clínica Geral

Infarto silencioso na mulher: saiba como identificar o quadro mesmo sem os sintomas típicos

Por Redação Doutíssima 29/04/2014

O estresse diário, a sobrecarga de trabalho, a herança genética e mais uma série de outros motivos estão atrelados ao elevado número de episódios de infarto em mulheres. Para piorar este cenário, o infarto silencioso pode pegá-las de surpresa, o que dificulta a sua identificação precoce.

Nas mulheres, a doença pode ocorrer sem gerar os seus sintomas típicos, que são a dor no peito e o mal-estar. Aquelas que possuem histórico familiar de doenças cardíacas devem consultar regularmente o seu médico, a fim de evitar possíveis problemas.

infarto silencioso

Na mulher, o infarto pode ocorrer sem a presença de nenhum sintoma conhecido. Foto: Shutterstock

O infarto silencioso é apontado como uma das principais causas de morte entre as mulheres. Os motivos que as tornam mais propensas a este tipo de patologia ainda não são totalmente conhecidos.

Hormônio

Estima-se que uma das causas principais da doença nas mulheres seja o hormônio fabricado pelos ovários, o estrógeno. Isto porque ele tem um efeito vasodilatador no organismo, o que faz com se torne um estimulante dos nervos na fabricação de proteínas associadas ao mecanismo da resistência à dor.

Outra possível causa da maior propensão de mulheres sofrerem infarto silencioso é a forma que se dá a distribuição dos nervos pelo organismo. Enquanto que nos indivíduos do sexo masculino as ramificações se irradiam para o peito, nas mulheres esta distribuição se direciona para as costas e para o abdômen.

O infarto feminino também está associado à obesidade, colesterol alto, diabetes, pressão alta, sedentarismo e fumo. Mulheres que se enquadrem em alguma destas condições têm seis vezes mais risco de serem acometidas por um infarto silencioso.

Sintomas do infarto silencioso

Quando o infarto silencioso ocorre em mulheres com menos de 55 anos, ele não se manifesta com a típica dor de peito e mal-estar, mas sim com fraqueza, náusea, dores no queixo, no colo, no estômago e nas costas ou com dificuldade para respirar.

O infarto ainda pode ocorrer sem a presença de nenhum sintoma. Este quadro se dá pelo fator de proteção circulatório estrogênico da mulher, o qual diminui o limiar de dor sentido por elas.

O sistema circulatório feminino também é responsável por agravar esta condição. Por ser mais sensível e frágil do que nos homens, o infarto feminino torna-se mais agressivo e perigoso.

O risco de infarto é aumentado quando elas permanecem em constante estresse, tomam a pílula anticoncepcional ou apresentam complicações durante a gravidez, como a eclampsia (pequenas convulsões).

Pelo fato de estes sintomas não estarem diretamente relacionados a uma situação de emergência clínica, as mulheres acabam não procurando ajuda médica de imediato, o que prejudica o diagnóstico precoce. Com isto, a terapêutica escolhida costuma ser a menos agressiva e, com a demora no início do tratamento, pode ocorrer um aumento no número de mortes em decorrência do infarto silencioso.

Este atraso na identificação do problema é considerado como o principal motivo de causa do infarto e de outras doenças, como o AVC (Acidente Vascular Cerebral) – sendo este o maior causador de morte e incapacidade cardiovascular no público feminino. Por isto, todas as mulheres, após a menopausa, devem consultar um cardiologista pelo menos uma vez por ano.

 

https://www.youtube.com/watch?v=j6oxfRru4tw

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

 

Saiba mais:

Infarto na mulher: o que acontece quando o ataque cardíaco ocorre no público feminino

Alto risco! Infarto em jovens e pessoas com menos de 40 anos são mais perigosos

Alerta: 4 Coisas que você sente antes de um ataque cardíaco (infarto)

Síndrome de Dressler: saiba mais sobre a inflamação que pode surgir após o infarto

Relógio da apple será capaz de prever ataque cardíaco

Entenda o que são as doenças cardiovasculares e quais são os grupos de risco

Entenda como o pré-operatório de cirurgia cardíaca é importante para o sucesso da operação


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]