[the_ad_group id="16401"]
Clínica Geral

Alto risco! Infarto em jovens e pessoas com menos de 40 anos são mais perigosos

Por Redação Doutíssima 21/03/2014

Atualmente, o estilo de vida das pessoas podem aumentar o risco de problemas cardíacos, principalmente nos mais novos. Entenda porque um infarto em jovem é mais complicado

infarto em jovens

Ao contrário do que o senso comum nos leva a pensar, com base nas doenças mais comuns, o infarto em jovens é mais perigoso do que em idosos, mantendo uma elevada taxa de mortes por este problema. Isso nos leva a compreender o motivo pelo qual os problemas cardíacos vêm demandando cuidados às pessoas de tdas as idades.

Para explicar esta diferença podemos fazer uma comparação com a própria sabedoria: quando se é jovem, a pouca experiência acaba levando à tomar decisões precipitadas, muitas vezes por não encontrar a ‘melhor saída’ para o problema, ao contrário de uma pessoa mais experiente, que com o conhecimento acumulado de uma vida inteira, tem condições de mudar a direção das coisas.

Entrando na área da ciência, o infarto em jovens é mais grave por um motivo bem simples: o acúmulo de placas de gordura (ateromas) na parede das artérias (aterosclerose), é muito mais complicada para um coração jovem do que para o de um idoso.

O que acontece é que, com o passar dos anos, o próprio organismo cria um mecanismo de defesa contra estes ateromas, conhecido como circulação colateral. São pequenos vasos sanguíneos que crescem ao redor dos grandes, garantindo o escoamento. “Além de maior risco de morte por infarto do miocárdio, os jovens que sofrem de aterosclerose estão sujeitos a verem comprometida sua qualidade de vida e mesmo de terem reduzida sua expectativa de vida”, afirmou o cardiologista Abrão José Cury Júnior, da Universidade Federal de São Paulo.

O que pode causar um infarto em jovens?

infarto em jovensSão diversos os fatores que podem levar um jovem ater um infarto, sendo que boa parte deles estão diretamente ligados à qualidade de vida e os cuidados com a própria saúde. Entre as principais causas estão a hereditariedade, o consumo de tabaco, a hipertesão, o estresse, a obesidade, o diabetes e também o colesterol elevado.

Os especialistas recomendam para todas as pessoas uma alimentação mais saudável e balanceada, alidada à atividades físicas regulares e uma visita anual à um médico para a realização de exames. Isso deve ser levado ainda mais em conta se o indivíduo possui casos de problemas cardíacos na família, o que pode aumentar os riscos de um infarto em jovens.

Além disso, é recomendado ainda garantir boas noites de sono, evitar o máximo possível situações – ou períodos – de estresse e tensão, além de procurar desenvolver alguma atividade que possa ser uma ‘válvula de escape’. Desta forma é possível diminuir os riscos de ter um infarto.

 

Saiba mais:

Alerta: 4 coisas que você sente antes de um ataque cardíaco (infarto)

Renato Aragão: entenda o que causa o infarto agudo do miocárdio e como evitar

Saiba os benefícios da vitamina C contra riscos cardiovasculares

Como monitorar a frequência cardíaca durante a atividade física

Função do cérebro pode diminuir com doenças cardíacas

Coração artificial: uma alternativa à longa espera

Os malefícios do energético para o coraçao


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]