[the_ad_group id="16401"]
Cabelos

Estresse pode causar queda de cabelo e danificar o couro cabeludo

Por Redação Doutíssima 29/05/2014
Quando a queda ocorre por estresse, não há a substituição da perda capilar. Foto: Shutterstock

Quando a queda ocorre por estresse, não há a substituição da perda capilar. Foto: Shutterstock

Como o estresse pode causar queda de cabelo

Para entender por que o estresse pode causar queda de cabelo, primeiro, é preciso diagnosticar o tamanho do problema. Segundo especialistas, é normal perder, por dia, cerca de 50 a 100 fios de cabelo.

O quadro foge do controle quando a quantidade de fios que caem é muito grande e o indivíduo percebe não há novos fios nascendo. Ou seja, não ocorre a substituição da perda capilar. É importante que os fios novos nasçam para manter o equilíbrio, caso isto não ocorra, o problema pode ser grave.

Existem momentos na vida nos quais os níveis de tensão estão muito altos e isto pode impulsionar uma queda provisória, ou até mesmo uma antecipação da calvície em quem possui uma pré-disposição para perder os fios.

Existem algumas situações extremas onde o estresse pode causar queda de cabelo, inclusive de todos os fios! Estar sob forte estresse compromete o sistema circulatório periférico, afetando a fixação do cabelo.

Outro fator que influencia na queda de cabelos são as altas taxas do hormônio cortisol no organismo, que também é resultado de estresse agudo. Ou seja, não restam dúvidas de que o estresse pode causar queda de cabelo. Não só pode, como é provável que isso aconteça.

Como combater a queda de cabelos

Encontrar fios de cabelo no travesseiro, na tolha e durante o banho podem ser sinais de alerta. Quando a queda dos fios de cabelo é provocada pelo estresse, não há uma solução imediata para o problema. O que precisa ser feito é controlar o estresse e, automaticamente, diminuir a queda de cabelo.

Lembre-se de que o estresse pode causar queda de cabelo e que o relaxamento, a prática de exercícios físicos para diminuir a ansiedade e aumentar a produção de serotonina (neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar), aliados a uma rotina menos atribulada, serão os pilares do tratamento.

Uma alimentação balanceada e um organismo saudável também ajudam a prevenir a queda de cabelo. Procure incluir vitaminas e proteínas na sua alimentação, além de manter o equilíbrio mental e praticar exercícios físicos com moderação.

Em casos de perda excessiva de cabelo, procure um dermatologista, pois há várias causas possíveis para o problema. O profissional irá avaliar o motivo, a gravidade e o melhor tratamento para o seu caso. Lembre-se também de nunca tomar medicamento sem a recomendação de um especialista.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

Saiba mais:

 

[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]