Guia do Sexo Anal

Falta de lubrificação é a causa da dor durante o sexo anal

Por Redação Doutíssima 04/11/2014

Muito mitos são ouvidos por aí quanto ao sexo anal. Coisas como “é sujo”, “causa hemorroidas”, “dói muito”, e por aí vai. Das muitas crenças temidas pelas mulheres, a dor é uma sensação que muitas acreditam ser inevitável nessa prática. O que muitas não sabem é que a dor e possíveis fissuras são causadas unicamente pela falta de lubrificação.

falta de lubrificação

A falta de lubrificação acaba dificultando a entrada do pênis. Foto: iStock, Getty Images

Falta de lubrificação pode causar lesões

O ânus nada mais é do que uma musculatura feita para expelir, que se contrai naturalmente durante a penetração e não produz lubrificação natural, diferente da vagina, que possui dois conjuntos de glândulas para essa finalidade.

O que acaba acontecendo é que essa falta de lubrificação dificulta a entrada do pênis, e pode causar pequenas lesões no ânus e na região ao redor. Forçar demasiadamente a entrada ainda pode rasgar as membranas anais.

Essas feridas causadas pela falta de lubrificação anal podem acabar gerando inflamações desagradáveis. As suas próprias fezes, por exemplo, quando em contato com as fissuras expostas, podem causar irritações de pele. Doenças sexualmente transmissíveis também têm sua entrada facilitada, uma vez que o líquido seminal terá contato direto.

 

Cuidados para evitar a falta de lubrificação

Alguns cuidados podem ser observados para que a falta de lubrificação natural não se torne um problema durante o sexo anal. A primeira dica é investir em um lubrificante industrializado. Comece, preferencialmente, com os produtos feitos à base de água e silicone. O primeiro é antialergênico, não reage negativamente ao látex e não mancha os lençóis, porém é menos espesso que os demais lubrificantes.

O lubrificante íntimo à base de silicone também não reage com o latéx, mas é mais difícil de limpar da pele e pode causar reações alérgicas em algumas pessoas. Para estimular e relaxar a mulher, o parceiro pode passar o lubrificante nos dedos e ir fazendo movimentos ao redor do ânus dela.

Depois ir colocando seu dedo delicadamente, fazendo movimentos circulares lá dentro. Com a mão livre estimule-a na vagina.

Assim que três dedos já tiverem sido inseridos sem problemas, o ânus está pronto para a penetração. Nunca use um lubrificante que cause amortecimento ou o pênis poderá causar muitos danos durante a penetração e a mulher não sentirá nada. Os movimentos forçados podem romper pregas e ocasionar ferimentos que poderão ter graves consequências mais tarde.

A posição sexual também pode facilitar o sexo anal, diminuindo a dor e compensando a falta de lubrificação. Mesmo que para o homem ver a mulher de quatro seja muito excitante, as mulheres recebem melhor a penetração quando estão deitadas de “conchinha”, pois seus músculos estão mais relaxados. Mas, mesmo assim, o lubrificante íntimo deve ser utilizado.

 

A falta de lubrificação natural também deve ser compensada para evitar que a camisinha se rompa, o que aumenta as chances de DSTs. Uma novidade no mercado é a camisinha origami. Feita de silicone, ela possui efeito sanfonado e é inserida diretamente do ânus. Além de não correr o risco de romper, devido ao seu material e formato, ela já vem com lubrificante interno.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros