Clínica Geral

Veja como prevenir a transmissão de 4 doenças por água contaminada

Por Redação Doutíssima 21/11/2014

São Paulo vem sofrendo a maior estiagem dos últimos 45 anos. Muitas cidades do interior, além de bairros da capital paulista, encaram horas de racionamento por dia. Sem previsão de chuva suficiente para normalizar os reservatórios, o jeito tem sido apelar para os poços artesianos, caixas d’água e até em baldes.

 

Todas são atitudes que exigem cuidados no armazenamento, pois várias doenças por água contaminada estão sendo registradas nas casas de saúde do estado mais rico do país.

 

doencas-por-agua-contaminada

Contaminação na água que consumimos pode causar problemas. Foto: iStock, Getty Images

 

Entre as celebridades que já tiveram algum problema com a água paulistana está a modelo Camila Vernaglia – hoje ela é uma das Coelhinhas da revista Playboy, mas entrou para o universo da fama ao participar do concurso Miss Bumbum Brasil 2012.

 

Camila, que mora no bairro Santana – abastecido pelo Sistema Cantareira, responsável pela água paulistana e que trabalha com apenas 3% de sua capacidade –, deu entrada no pronto-socorro na madrugada de 22 de outubro.

 

Os sintomas que a modelo apresentava, como dor abdominal, diarreia, vômito e febre são clássicos de doenças por água contaminada.

 

Veja como prevenir 4 doenças por água contaminada

 

– Hepatite A

 

Entre as doenças por água contaminada que ainda não foram erradicadas do Brasil está a hepatite A. Mesmo com a incidência caindo desde 2006, ainda há 3,6 mil novas contaminações a cada 100 mil habitantes.

 

A doença atinge principalmente crianças de regiões sem saneamento básico. O vírus VHA é transmitido de maneira oral-fecal, daí a importância de manter as mãos e os alimentos sempre bem higienizados. Não esqueça que a caixa d’água também deve estar bem limpa.

 

– Diarreia infecciosa

 

Uma das doenças por água contaminada mais comum é a diarreia infecciosa. A diarreia leve geralmente passa sozinha, sem auxílio de medicação, mas exige hidratação.

 

O problema é que, se a pessoa continuar bebendo a mesma água que causou a infecção inicial, um problema simples pode se tornar bem maior. Além disso, certifique-se que o banheiro está sempre limpo, assim como as mãos.

 

– Esquistossomose

 

Talvez você só tenha ouvido falar da doença na escola, mas saiba que em áreas ribeirinhas e de pouco acesso a saneamento básico essa é uma das doenças por água contaminada que representa maior risco.

 

Na verdade, a esquistossomose é uma doença transmitida através de uma larva chamada miracídio, que usa um caramujo como condutor. Esta larva se transforma em um cercária e, depois de se “livrar” do caramujo, anda sozinha pelas águas naturais à espera de um hospedeiro para se reproduzir.

 

O hospedeiro em questão é o homem. A esquistossomose é uma doença grave que pode levar à morte, por isso é importante se certificar que a água consumida não está contaminada.

 

– Febre Tifoide

 

Você pode nunca ter ouvido falar desta doença, mas ela é comum em locais onde não há água tratada e saneamento básico adequado. A febre tifoide é transmitida por via fecal-oral, daí a importância, mais uma vez, de manter as mãos e os alimentos limpos, assim como a caixa d’água e o banheiro.

 

Os órgãos afetados pela bactéria Salmonella entérica typhi são fígado, baço, vesícula, medula óssea e intestino. O tratamento é simples, quando descoberto no início da doença. Caso se prolongue, o paciente pode morrer.

 

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros