Sexualidade

Saiba exatamente o que é o ponto G e como estimulá-lo

Por Redação Doutíssima 16/12/2013

A busca das mulheres pelo ponto G pode ter chegado ao fim. Essa parte do corpo, que levaria ao prazer extremo através do seu estímulo, não passa de um mito segundo uma pesquisa do King’s College de Londres, na Inglaterra. Os cientistas afirmam que ele pode estar em qualquer zona erógena feminina e não em um local específico.

 

É comum relacionar o termo ao teto da vagina, uma zona bastante sensível que gera excitação e lubrificação. No entanto, estimular essa região não é suficiente para que a mulher conquiste orgasmos.

ponto

As zonas erógenas e as sensações de prazer podem ser diferentes para cada mulher. Foto: iStock, Getty Images

Por isso, o ponto G é apenas um mito, que ronda o imaginário feminino no sonho de descobrir sua fonte de prazer. Saiba por que o “G” é apenas lenda e como é possível se sentir satisfeita de verdade.

 

Desvende o ponto G

Em 1950, um médico da Alemanha chamado Ernst Grafenberg sugeriu a existência de um ponto G. Segundo ele, haveria uma zona erógena capaz de levar a mulher a múltiplos orgasmos, o que movimentou a curiosidade feminina e dos profissionais a procurá-la. Porém, sexólogos trataram de desmentir a ideia, afirmando que o prazer não está relacionado a um único lugar.

 

Buscando essa parte do corpo e tentando se satisfazer sexualmente, muitas mulheres se frustraram por não conseguirem atingir o ápice da excitação nas relações sexuais.

 

A descoberta dos cientistas de Londres comprova então que essa região não existe, sendo que a excitação feminina depende de fatores psicológicos, fisiológicos e emocionais. A entrega no ato sexual é o que determina o prazer sentido.

 

Não foi apenas o estudo do King’s College que desmistificou a existência do ponto G. Na Universidade de Yale, nos Estados Unidos, outra pesquisa não conseguiu encontrar provas de um local na anatomia feminina capaz de estimular o prazer máximo.

 

Ela descobriu que existem rugosidades diferentes nas vaginas humanas, mas que não há um local que seja mais ou menos excitante.

 

Como atingir o prazer na falta de um ponto G

Apesar de não existir um ponto G no corpo das mulheres, cada pessoa se sente satisfeita por impulsos distintos no corpo. Não há um padrão, mas os locais sensíveis são o que garantem o desejado “ápice do prazer”. Eles podem se localizar no ouvido, nas mamas, nos pés, na nuca ou qualquer parte do corpo que cause sensações gostosas.

 

Sem depender de um local específico, o prazer feminino está relacionado principalmente ao conhecimento de suas zonas erógenas e à autoestima, sendo que cada uma tem áreas onde se sente mais estimulada com o toque. Ela pode até mesmo atingir o orgasmo sem que o homem a penetre.

 

São chamadas zonas erógenas as partes do corpo que recebem maior irrigação nervosa, tornando-se assim mais sensíveis. Um dos mais conhecidos é o períneo, situado entre o ânus e a vulva.

 

Na frente da vulva existe outra área de sensibilidade e era ali que muitos livros de medicina sexual atribuíam a localização do “G”. Em outros, porém, era o próprio clitóris o lugar associado ao local do prazer.

 

As comprovações científicas demonstram que cada mulher possui uma forma distinta de receber os estímulos do toque. Por isso, cada uma deve descobrir o que a deixa excitada e explorar suas características próprias para chegar ao orgasmo.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros