Sexualidade

Saiba mais sobre as particularidades do voyeurismo

Por Redação Doutíssima 25/11/2014

Muitas pessoas são curiosas quanto ao sexo, e a indústria da pornografia é um exemplo disso. Mas quando esta curiosidade passa de um certo “limite”, é possível significar outras coisas. O voyeurismo é um fetiche muito comum que é exatamente relacionado a este assunto. Trata-se de quando alguém tem satisfação sexual em espionar outra pessoa em comportamentos íntimos como se despir ou manter uma relação sexual.

 

voyeurismo

Voyeur é a pessoa que se excita assistindo o sexo de outros. Foto: iStock, Getty Images

 

Uma pessoa que tem voyeurismo é chamada de voyeur. Para ele, o ato de espionar alguém é a chave para atingir a excitação sexual. A pessoa que está a ser analisada, geralmente, não tem ideia de que está sendo espionada. Mas é claro que existem casos que está ação pode ser feita através de consenso – é comum que alguns casais adotem essa prática para apimentar a sua vida sexual.

Características do voyeurismo

Um voyeur normalmente não expõe este seu fetiche abertamente, já que em muitos casos esse é um dos segredos para que a excitação sexual aconteça. Mas através de alguns sinais é possível detectar se uma pessoa é um voyeur ou apenas um curioso sobre sexo. Veja alguns deles:

– Um voyeur se sente muito à vontade ao assistir estranhos se despindo ou em atividade sexual.

– Ele alcança a excitação sexual em um desses casos, ou em ambos.

– Sente que precisa olhar pessoas nuas para alcançar a excitação sexual.

– Tem intensas e recorrentes fantasias sexualmente excitantes ou impulsos sexuais ao assistir uma pessoa se despir ou se envolver em uma atividade sexual.

– Essas fantasias, impulsos ou comportamentos podem durar pelo menos seis meses e causar um sofrimento significativo em sua vida.

Mas se você está se perguntando de onde vem este fetiche, saiba que isso pode depender de pessoa para pessoa e, geralmente, um voyeur não vê nada de errado em seu comportamento. Mas segundo psiquiatras, o voyeurismo é considerado uma parafilia ou um distúrbio sexual.

Sendo assim, a maioria dos voyeurs possuem uma série de conflitos psicológicos, e em sua maioria são homens que lutam contra a sua própria satisfação sexual e desejos. Eles são muitas vezes indivíduos sexualmente frustrados e têm dificuldade com as relações sexuais e namoro.

Algumas teorias sugerem que experiências na infância podem ser associadas aos fetiches como o voyeurismo na vida adulta. Outras teorias relacionam a quantidade de testosterona no corpo e lesões traumáticas na cabeça.

Quando o voyeurismo é um problema?

Quando o voyeurismo não é consensual, pode implicar em algo mais grave, como invasão de privacidade, e isso é crime. Por isso, se você sentir que tem esta fixação por espionar pessoas em sua intimidade, talvez seja uma boa ideia conversar com um psicólogo para ter certeza que este fetiche não irá afetar a sua vida.

O tratamento de voyeurismo pode variar, dependendo do indivíduo, mas para que ele seja bem sucedido, o voyeur deve perceber que existe um problema. A terapia comportamental é a forma mais comum de tratamento para essa parafilia. Através da terapia de comportamento, um voyeur aprende a controlar o impulso de observar as pessoas sem o seu consentimento, conseguindo alcançar a satisfação sexual de outras formas.

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros