Guia dos Dentes

Clareamento dental caseiro é seguro? Tire suas dúvidas

Por Redação Doutíssima 23/10/2014

Como todo mundo quer ter dentes branquinhos e esbanjar um sorriso brilhante, não faltam estratégias para se atingir o objetivo rapidinho e sem custo algum. Pensando nisso, há quem opte pelo clareamento dental caseiro. Só que esta solução simples e rápida pode ser uma armadilha, que ao invés de ajudar, pode prejudicar a saúde dos dentes.

 

Clareamento dental caseiro carece de evidências

 

Não há garantia de que o clareamento caseiro dê bons resultados e, além de não clarear, técnicas como passar suco de limão ou água oxigenada nos dentes podem causar danos, como cárie e sensibilidade excessiva nos dentes.

 

Por isso, antes de se aventurar neste experimento, é importante pesquisar e se informar sobre o método adotado e pesquisar se ele não trás riscos para seu sorriso.

clareamento-dental-caseiro

Para o clareamento dentário ser seguro e eficaz, deve ser feito por profissional. Foto: iStock, Getty Images

É normal os dentes ficarem amarelados, pois esse é o resultado natural do envelhecimento dos dentes, do tabagismo e do consumo de alimentos com corantes, como o café e o vinho.

 

Em alguns casos, a segunda dentição, que é a permanente, já nasce com uma coloração acinzentada em decorrência do excesso de medicamentos ingeridos durante a infância. Para sanar este problema, que incomoda algumas pessoas, a forma mais segura é a mais onerosa: procurar um dentista e fazer o procedimento profissional no consultório.

 

Riscos do clareamento dental caseiro

 

Os riscos do clareamento dental caseiro sem orientação são muitos. O uso de kits de clareamento dental, que são facilmente encontrados à venda no mercado e parecem inofensivos e de simples manipulação, pode causar a inflamação das gengivas, sangramentos e manchas em toda a arcada dentária.

 

O gel e a moldeira vendidos não possuem a aprovação de um dentista. Além disso, vendido em concentrações variadas, o peróxido de carbamida (substância do gel) tem de ser administrado de acordo com as necessidades pontuais de cada indivíduo.

 

Um gel muito forte pode ser agressivo e doloroso para uma pessoa com dentes muito sensíveis, podendo causar perda de papila (gengiva entre os dentes), retração de gengiva (deixando a raiz à mostra), inflamações da bochecha e dos lábios e até piorar casos de gastrite e úlcera gástricas. Em virtude destes riscos, o próprio Conselho Federal de Odontologia desencoraja o processo do clareamento caseiro.

 

Criatividade arriscada

 

Algumas pessoas que desejam fazer o clareamento dental caseiro também recorrem a soluções criativas e perigosas, como o uso de suco de limão. Além de não deixar mais branco, o suco de limão é ácido e corrói os dentes.

 

Em excesso e com frequência, o método promove a corrosão do esmalte, fragilizando o dente e o deixando mais sensível, além de facilitar o surgimento de cáries. O mesmo pode ser dito da prática de se esfregar carvão nos dentes. Apesar de limpar os dentes, o método não clareia os dentes.

 

O uso de bicarbonato de sódio também não clareia e ainda pode danificar o esmalte do dente se for usado com frequência. Outro método bastante difundido e que também não funciona no clareamento dental caseiro é o uso de água oxigenada.

 

Embora se pense que o clareamento enfraquece os dentes, isso não é verdade. No entanto, isto só ocorre quando tratamento é realizado por um especialista com um gel clareador na concentração e tempo de exposição corretos.

 

Além disso, é possível realizar um clareamento dental caseiro sob a supervisão de um dentista. O procedimento tem basicamente o mesmo princípio do que vem sendo feito sem orientação, mas, além de contar com uma moldeira feita por um protético, o paciente usa o gel na concentração indicada pelo profissional.

 


Sites parceiros