[the_ad_group id="16401"]
Especialidades

Não somente os profissionais: entenda como acontecem as lesões no tendão de aquiles e como tratar

Por Mayara Pinheiro 27/03/2014

Os atletas profissionais estão habituados a lidar com as lesões e, geralmente, contam com uma equipe para tratá-las. Saiba o que você pode fazer para ajudar na curar de uma lesão no tendão de aquiles 

tendão de aquiles

Uma lesão no tendão de Aquiles é muito comum, principalmente quando falamos da prática de esportes como a corrida, que tanto solicita a função do músculo da panturrilha. Estima-se que 11% de todas as patologias que acometem os corredores estão relacionadas ao tendão de Aquiles, ou seja, uma lesão no tendão de Aquiles afeta tanto os atletas profissionais quanto os amadores.

O tendão de Aquiles é um grande e calibroso tendão que se localiza atrás do tornozelo, ligando os músculos da panturrilha (sóleo e gastrocnêmio) ao osso do calcanhar (calcâneo). O tendão de Aquiles é um dos mais longos tendões em seu corpo, que permite a você estender o pé e apontar os dedos dos pés no chão.

 

O que pode causar lesões do tendão de Aquiles?

tendão de aquilesUma lesão no tendão de Aquiles pode ser causada por:

• Sobrecarga ou excessos no treino;

• Intensificar o seu nível de atividade física muito rapidamente;

• Não alongar o suficiente antes do exercício;

• Uso de sapatos inadequados ou fazer uso excessivo de sapatos com salto alto;

• Alterações posturais: como por exemplo, pé pronado;

• Corridas em aclives, corridas com saltos ou subidas em escadas;

• Tipo de pisada: pronação excessiva pode aumentar a tensão no tendão;

Lesões do tendão de Aquiles são comuns em pessoas que participam de esportes como a corrida; ginástica; dança; vôlei; futebol; basquete; e tênnis.

 

Sintomas 

tendão de aquilesOs sintomas podem acometer somente um lado ou bilateralmente. A dor geralmente se localiza de 2 a 6 cm acima do calcanhar. Incluem desde um processo inflamatório numa fase inicial até uma lesão completa do tendão, é importante salientar que os sintomas podem ser parecidos, apesar das lesões se diferenciarem, como nos casos das tendinoses e rupturas parciais. Por isso, é importante a consulta com um médico ortopedista para que seja feito um diagnóstico correto e um tratamento adequado.

No caso de uma lesão aguda, os sintomas se manifestam com as seguintes características:

– Dor no tendão durante os exercícios que melhora com o repouso. A dor aparece gradualmente durante os exercícios, podendo até diminuir ou desaparecer ao longo da corrida;

– Edema (inchaço) sobre o tendão, com vermelhidão sobre a pele no local da lesão.As dores experimentadas na fase aguda da patologia tendem a desaparecer após um aquecimento antes da corrida, mas retornam quando a atividade é interrompida.

A tendinose ou ruptura crônica é uma condição difícil de tratar, particularmente em atletas mais velhos que parecem sofrer mais desta patologia. Se não tratada, os sintomas pioram até ficar impossível correr. Os sintomas são parecidos com a fase aguda, só que mais presentes ou intensos.

 

Qual é o tratamento de uma lesão no tendão de Aquiles?

 

tendão de aquilesA boa notícia é que pequenas lesões do tendão de Aquiles, ou moderadas, devem se curar por conta própria. Você só precisa de tempo. Mas você pode dar uma aceleradinha no processo:

• Repouso: Evite colocar peso sobre a perna da melhor maneira possível. Você pode precisar de muletas;

• Uso de bandagem elástica: use em torno da perna e tornozelo inferior para manter o inchaço ;

• Elevação da perna perna;

• Uso de analgésicos. anti-inflamatórios: para a dor;

• E muito GELO: ideal fazer o uso de 3x ao dia, com duração de 15 minutos.

Fisioterapia

Além da melhora da lesão e sintomas, o tratamento fisioterapêutico tem como objetivo o retorno à corrida sem riscos de recidivas (nova lesão).

• Numa fase inicial de lesão, o objetivo é minimizar a lesão tecidual com a utilização de ultra-som e gelo numa posição alongada do músculo da panturrilha;

• Numa fase intermediária, é indicada a utilização de ultra-som e laser para estimular a síntese de colágeno e cicatrização. Um alongamento suave dos músculos da panturrilha contribuirá para o realinhamento das fibras de colágeno e deve ser seguido pela aplicação de gelo numa posição alongada do tendão;

• Já a fase final do tratamento visa melhorar a cicatrização da lesão e fortalecer os músculos. Deve-se aplicar o gelo no final dos exercícios com objetivo de diminuir a dor e prevenir possíveis reações inflamatórias.

Como é comum alterações posturais predispor a lesões, técnicas como a RPG (reeducação postural global), que visam alinhar o corpo e seus segmentos, podem auxiliar no tratamento ou evitar lesões, além de contribuir para a melhora da flexibilidade.

Tão importante quanto os alongamentos e fortalecimentos que irão reequilibrar a musculatura são os exercícios de propriocepção que levam informações ao cérebro e otimizam a função motora.

O retorno à corrida deve ser gradual, acompanhado dos exercícios para alongar e fortalecer os músculos da panturrilha, até que força, resistência, flexibilidade e amplitude de movimento estejam adequadas (quando comparados ao lado não lesionado).

Não se esqueça: a prevenção é sempre a melhor medida quando falamos em lesão tendínea.

 

Saiba mais:

Tendinite: o que é e como tratar?

Saiba um pouco mais sobre a tendinite patelar

Como aliviar a transpiração excessiva nos pés

Como acabar com o chulé (mau cheiro nos pés)

5 dicas para aliviar as dores na gravidez

O que causa o adormecimento das pernas?

Entenda a síndrome das pernas inquietas e como lidar


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]