Se você é uma mulher já experiente ou ainda uma adolescente, a visita ao ginecologista é um momento cercado de importância. Por vezes, o medo pode desencorajar até as mais veteranas em consultórios ginecológicos, contudo, a consulta com este especialista deve ser integrada à rotina feminina por questões de saúde.

A visita ao ginecologista pode ter motivações variadas, sendo fruto de uma medida preventiva ou mesmo reativa – quando alguma doença ou quadro infeccioso já está instalado.

visita ao ginecologista
Visita ao ginecologista objetiva garantir a saúde e o bem-estar femininos. Foto: Shutterstock

Independentemente do que a motiva, a visita ao ginecologista deve ocorrer ao menos uma vez por ano, segundo especialistas, como forma de garantir a saúde e bem-estar feminino. Já para mulheres que realizam tratamento hormonal, a consulta semestral é recomendada. Entre as gestantes, por sua vez, a visita ao ginecologista deve ser constante, especialmente a partir da segunda metade da gravidez.

Razões da visita ao ginecologista

Uma visita ao ginecologista, entre as adolescentes, tem como objetivo principal esclarecer dúvidas quanto ao desenvolvimento do próprio corpo, bem como quanto à iniciação da vida sexual.

Já entre as mulheres adultas, além do planejamento da maternidade e da prevenção de doenças, como câncer de mama e do colo de útero, a visita ao ginecologista busca tratamento para dificuldades sexuais, menstruação irregular, alterações hormonais e doenças sexualmente transmissíveis.

É importante lembrar que o câncer de mama é o que mais afeta as mulheres e, por isso, é fundamental que o ginecologista examine os seios da paciente e realize a mamografia, se necessário. Quanto ao câncer de colo de útero, o exame Papanicolau deve ser realizado anualmente em uma visita ao ginecologista. Se a doença for detectada no início, as chances de cura chegam a 95%.

Por fim, uma visita ao ginecologista é importante para definir o método contraceptivo a ser utilizado. O médico é o responsável por identificar a melhor entre as opções existentes, considerando o organismo e as preferências de cada paciente e ajustando a dosagem necessária.

A primeira visita ao ginecologista

Não há uma idade específica para a primeira visita ao ginecologista. Sendo assim, essa consulta inicial pode ocorrer aos primeiros sinais de amadurecimento dos órgãos genitais, após a primeira menstruação (menarca) e, preferencialmente, antes da primeira relação sexual – embora este contato costume ocorrer após a perda da virgindade. Se a menina menstruou, pode ser levada ao ginecologista, mas é recomendável que isto ocorra se ela sentir necessidade e vontade.

O primeiro contato com o ginecologista é simples. Basicamente, ele fará perguntas sobre a rotina e o corpo da adolescente, sobre a periodicidade do ciclo menstrual, a data do último período e sobre a necessidade de adoção de algum método anticoncepcional.

É fundamental que as mães orientem bem suas filhas para este momento. Mesmo que a adolescente receba aulas de orientação sexual na sua escola, a figura da mãe não encontra substituta ao transmitir conhecimentos sobre o corpo feminino e a própria menstruação. Médicos recomendam ainda que, para que a jovem possa se acostumar com a ideia da visita ao ginecologista, que acompanhe a mãe em uma de suas consultas.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

 

Saiba mais:

Saúde da mulher: corrimento esverdeado. O que pode ser? 

Corrimento com mau cheiro: como tratar?

Corrimento na gravidez: por que acontece e como tratar

Dúvida do leitor: corrimento na gravidez prejudica o bebê? 

Saiba mais sobre a candidíase no homem: sintomas e tratamento

Candidíase: conheça os sintomas e se previna!

Tudo o que você queria saber sobre o sapinho (candidíase oral)

 


DEIXE UMA RESPOSTA